Ciro Gomes realmente não é puxadinho do PT… é do PSDB

ciroca

Quando a direita começou a tramar o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff e a esquerda reagiu, o ex-governador Ciro Gomes saiu do esquecimento para fazer inflamados discursos em defesa da “democracia”. Ex-integrante do partido da ditadura militar (PDS), Ciro Gomes viu no autêntico e popular movimento contra o golpe uma oportunidade para roubar votos da esquerda.

Embora, por vezes, tenha se posicionado contra o impeachment, o fato é que Ciro Gomes nunca participou verdadeiramente da luta contra o golpe. Além de não contribuir diretamente com as caravanas ou com as mobilizações que confrontaram os golpistas, Gomes deu várias entrevistas em que deixava claro que Dilma foi uma presidenta ruim e que Lula não era honesto.

A posição de Ciro Gomes sempre teve um objetivo claro: propor uma candidatura que agrade à burguesia e que consiga enganar os setores mais progressistas da sociedade. Em outras palavras, Ciro Gomes pretende roubar os votos de Lula, caso este não participe da eleição, e seja financiado pelos mesmos setores que deram o golpe no Brasil.

Recentemente, Ciro Gomes escancarou todo o seu oportunismo ao elogiar o Poder Judiciário por ter condenado o ex-presidente Lula, que é o maior líder popular do Brasil. Ao ser questionado sobre sua postura golpista, Ciro afirmou: “não sou um puxadinho do PT”.

Embora pouco do que Ciro Gomes diga deva ser levado a sério, a sua frase acima é correta. Afinal, Ciro Gomes não é um “puxadinho” do PT, mas sim um “puxadinho” do PSDB. Caso a candidatura de Geraldo Alckmin não decole, Ciro Gomes tem esperança de que será convocado pela burguesia para ser o lambe-botas oficial do imperialismo norte-americano.