Ciro difama Lula, acusa ele e os filhos de serem corruptos

imagem

Em um vídeo de março de 2016, enviado para a nossa redação do Diário Causa Operária, o agora candidato abutre Ciro Gomes, dá uma demonstração cabal de todo o “apreço” que tem pelo principal preso político do Brasil, o ex-presidente Lula, e a desenvoltura com que reproduz toda a infame campanha de calúnias dirigida contra Lula e sua família.

Em um trecho de pouco mais de dois minutos, uma entrevista concedida a TV Brasil, Ciro acusa Lula de que o seu erro capital foi ter misturado “política com dinheiro”, que “tem uma fortuna na conta dele” e de que “os meninos são dois milhões e quatrocentos para cá, três milhões para lá…”. Esse é o Ciro abutre que um setor da esquerda pequeno-burguesa, inclusive um setor do próprio PT, quer lançar como um plano B à candidatura de Lula.

Duas questões centrais chamam a atenção com relação a situação política porque passavam Lula e o PT naquele momento. A entrevista é de março de 2016, justamente no momento em que os golpistas montaram toda uma operação para bloquear a ida de Lula para o ministério Dilma, no período em que foi levado coercivamente para a Polícia Federal no aeroporto de Congonhas em São Paulo e pouco antes da votação do processo de impeachment pela Câmara Federal.

Naquele momento, o objetivo dos golpistas era justamente o de prender Lula em Curitiba e apenas o fato não se consumou devido a enorme reação popular no próprio aeroporto. Toda a campanha contra o ex-presidente foi feita com base em mentiras grotescas, é tanto que abortaram as denúncias daquela época e forjaram outras a partir do apartamento de Guarujá e do Sítio de Atibaia.

A sordidez do entrevistado vai a tal nível, que compara os filhos de Lula – que até dono da Friboi foram acusados de ser – com os seus próprios filhos, todos honestos profissionais liberais,”proibidos de ganhar dinheiro”. “Imagina se tivessem dois milhões em caixa..”.

Como pérola final, desfiou um rosário da inimizades que Lula tem com dirigentes do PT. Ao ser indagada pela repórter sobre as “reclamações de Lula ao Ministério da Justiça”, afirmou que Lula “não gosta do ministro José Eduardo Cardoso desde sempre”. E por quê? “Porque José Eduardo foi o presidente da Comissão de Ética que apurou a história dele com o ‘cumpade’ dele no tal apartamento, lá trás e esse homem é um homem sério, absolutamente integro e ainda se dispõe a servir o país, porque também está de saco cheio”.

Finalmente, o abutre Ciro reafirmou que se tem uma pessoa no PT que ele não gosta é o Lula, inclusive imputando ao ex-presidente a responsabilidade pela situação do governo Dilma. Ao declarar que Lula também “não gosta de Aluísio Mercadante” e de “que Lula também isola a Dilma, conclui dizendo “que ainda bem que entrou o Jacques Vagner, que é leal” e que foi a política de tutela do Lula o que é que resta de autoridade da Dilma com esse tipo de comportamento do Lula? Para que serve um presidente desautorizado?”.

É importante realçar que as declarações a entrevista foram dadas quando o golpe de Estado estava às vésperas de consumar o seu primeiro ato, com o impeachment de Dilma, o que fica patente que Ciro Gomes não apenas foi a favor do processo absolutamente fraudulento do impeachment – e seu discurso aparentemente contrário não passava de bravatas -, como é possível que tenha tido um papel relevante nas articulações com setores da esquerda, com o objetivo de colocar em prática a política de um possível plano B para as eleições.

O menino de Benjamin Steinbruch é o que é: um político da direita golpista que quer tomar o país de assalto!