Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
images (5)
|

Depois que a direita conseguiu prender o ex-presidente Lula, os governadores do PT e do PCdoB, bem como outros setores da esquerda intimamente ligados à burguesia, têm feito uma forte campanha pelo fim da luta contra o golpe. Para esses setores abutres, os trabalhadores deveriam “virar a página do golpe”, isto é, esquecer que a direita usurpou o poder em 2016 e seguir a vida como se nada tivesse acontecido.

O problema é que não é possível “virar a página”, pois a própria burguesia não quer acabar com o golpe, mas sim aprofundá-lo. Depois de derrubar a presidenta Dilma, os golpistas aprovaram a Reforma Trabalhista, colocaram centenas de privatizações na ordem do dia, congelada os gastos públicos durante vinte anos… E muito mais coisa vem por aí, como a Reforma da Previdência e a privatização completa da Petrobrás e da Eletrobrás.

Por causa disso, é necessário que os trabalhadores permaneçam em mobilização permanente contra o golpe e garantam, nas ruas, a eleição de Lula para a Presidência da República. Afinal, Lula é o único candidato capaz de causar uma crise no regime político, pois ele é majoritariamente apoiado pela classe mais revolucionária do país: os trabalhadores.

Trocar Lula por Ciro Gomes é trocar o apoio maciço dos trabalhadores por um carreirista que só sabe fazer discurso. Além disso, Ciro Gomes já mostrou diversas vezes que é um político direitista, um verdadeiro capacho da burguesia.

Recentemente, Ciro Gomes elogiou o atual governador de São Paulo, Márcio França. O elogio, obviamente, não veio à toa: trata-se de uma bajulação sistemática que Ciro Gomes tem feito para conseguir o apoio do PSB. Elogiar Márcio França, no entanto, é um insulto aos trabalhadores de todo o país.

Como se não bastasse constar em seu histórico ter sido você de Geraldo Alckmin, do PSDB, Márcio França é o governador que foi a público atacar os moradores da ocupação incendiada em São Paulo. Mas palavras do próprio governador, os moradores de ocupação, isto é, os sem-teto, mereceram morrer queimados no incêndio, pois ocupar seria uma “opção”. Pouco tempo depois, o governador protagonizou outra cena macabra ao premiar uma policial que assassinou, a sangue frio, um rapaz em frente à escola de sua filha.

Ciro Gomes é um abutre e deve ser denunciado como tal. Não existe “plano B” para a luta contra o golpe. É necessário sair às ruas para garantir a liberdade de Lula e sua participação nas eleições. É Lula ou nada!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas