Siga o DCO nas redes sociais

Cinismo: depois de trair todas as lutas da categoria, Sintect-RJ diz que vai lutar pelo plano de saúde nos Correios
Cinismo: depois de trair todas as lutas da categoria, Sintect-RJ diz que vai lutar pelo plano de saúde nos Correios

O Sintect-RJ (Sindicato dos trabalhadores dos Correios do Estado do Rio de Janeiro), controlado pelos sindicalistas do PCdoB, que são divisionistas da categoria (pois defendem a federação “fantasma”, a Findect, em oposição à Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios, a Fentect), postou em sua página da internet uma matéria dizendo que “chegou a hora de lutar pela manutenção do plano de saúde dos Correios”.

Para os desavisados, e aqueles que não conhecem a categoria dos Correios, poderia parecer que esses sindicalistas do PCdoB realmente estariam preparando alguma luta em defesa dos trabalhadores.

Mas para a própria categoria, que já sofreu com a experiência de ter essa diretoria sindical lutando contra as mobilizações da categoria, é nítido que esse discurso de luta não passa de mais uma bravata e enganação.

A diretoria desse sindicato, o Sintect-RJ, conjuntamente com o Sintect-SP, que são os maiores sindicatos do país traiu todas as lutas da categoria nos últimos 15 anos.

A própria luta contra a privatização e portanto a destruição do plano de saúde dos trabalhadores dos Correios foi combatida por anos esses sindicalistas demagogos, que se quer convocaram os trabalhadores em 2013 para impedir a instalação do Postal Saúde nos Correios, que veio a preparar os ataques dos golpistas ao plano de saúde da categoria.

Na questão do julgamento dos  ministros  golpistas do TST (Tribunal Superior do Trabalho) contra o plano de saúde dos Correios, os sindicalistas do PCdoB foram junto com os demais sindicalistas do Bando dos Quatro (PT, PCdoB, PSTU e a diretoria do Sintect-MG, da LPS) os principais responsáveis para que o plano fosse encaminhado para o matadouro do dissídio do TST.

Em 2017, o Sintec-tRJ como os demais sindicatos controlados pelos sindicalistas do Bando dos Quatro, orientaram os trabalhadores abandonarem a greve de 17 dias, assinando o acordo coletivo de trabalho 2017/2018, com o falso argumento de que tinham garantido todos os direitos da categoria.

Se naquele momento, com greve em 27 Estados, 17 dias de greve, a burocracia sindical não sentiu força para derrotar a intenção da ECT de atacar o plano de saúde dos Correios, por que então agora é possível barrar esse ataque, com apenas um dia de greve, no dia do julgamento do plano no TST?

É simples, o Bando dos Quatro do movimento sindical dos Correios  tem receio de lutar contra a direita em qualquer situação, e por isso entregaram a greve e o plano de saúde, e agora, a convocação de um dia de greve é apenas para que os trabalhadores esqueçam que cantaram vitória na assinatura do acordo, e apareçam no dia do julgamento como lutadores, como aqueles sindicalistas que lutaram até o fim, quando na verdade são traidores, que abriram as portas para que os golpistas passassem, impondo mais uma retirada de direitos dos trabalhadores dos Correios.