Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

O Sintect-RJ (Sindicato dos trabalhadores dos Correios do Estado do Rio de Janeiro), controlado pelos sindicalistas do PCdoB, que são divisionistas da categoria (pois defendem a federação “fantasma”, a Findect, em oposição à Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios, a Fentect), postou em sua página da internet uma matéria dizendo que “chegou a hora de lutar pela manutenção do plano de saúde dos Correios”.

Para os desavisados, e aqueles que não conhecem a categoria dos Correios, poderia parecer que esses sindicalistas do PCdoB realmente estariam preparando alguma luta em defesa dos trabalhadores.

Mas para a própria categoria, que já sofreu com a experiência de ter essa diretoria sindical lutando contra as mobilizações da categoria, é nítido que esse discurso de luta não passa de mais uma bravata e enganação.

A diretoria desse sindicato, o Sintect-RJ, conjuntamente com o Sintect-SP, que são os maiores sindicatos do país traiu todas as lutas da categoria nos últimos 15 anos.

A própria luta contra a privatização e portanto a destruição do plano de saúde dos trabalhadores dos Correios foi combatida por anos esses sindicalistas demagogos, que se quer convocaram os trabalhadores em 2013 para impedir a instalação do Postal Saúde nos Correios, que veio a preparar os ataques dos golpistas ao plano de saúde da categoria.

Na questão do julgamento dos  ministros  golpistas do TST (Tribunal Superior do Trabalho) contra o plano de saúde dos Correios, os sindicalistas do PCdoB foram junto com os demais sindicalistas do Bando dos Quatro (PT, PCdoB, PSTU e a diretoria do Sintect-MG, da LPS) os principais responsáveis para que o plano fosse encaminhado para o matadouro do dissídio do TST.

Em 2017, o Sintec-tRJ como os demais sindicatos controlados pelos sindicalistas do Bando dos Quatro, orientaram os trabalhadores abandonarem a greve de 17 dias, assinando o acordo coletivo de trabalho 2017/2018, com o falso argumento de que tinham garantido todos os direitos da categoria.

Se naquele momento, com greve em 27 Estados, 17 dias de greve, a burocracia sindical não sentiu força para derrotar a intenção da ECT de atacar o plano de saúde dos Correios, por que então agora é possível barrar esse ataque, com apenas um dia de greve, no dia do julgamento do plano no TST?

É simples, o Bando dos Quatro do movimento sindical dos Correios  tem receio de lutar contra a direita em qualquer situação, e por isso entregaram a greve e o plano de saúde, e agora, a convocação de um dia de greve é apenas para que os trabalhadores esqueçam que cantaram vitória na assinatura do acordo, e apareçam no dia do julgamento como lutadores, como aqueles sindicalistas que lutaram até o fim, quando na verdade são traidores, que abriram as portas para que os golpistas passassem, impondo mais uma retirada de direitos dos trabalhadores dos Correios.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas