Charges: sete “Pau no Coco” sobre o governo Bolsonaro

O Jornalista e cartunista Ralfo Furtado, que já forneceu algumas de suas charges para o Diário da Causa Operária, estreou uma nova coluna neste diário: “Pau no coco”.

Ralfo é mais um parceiro do jornal da Causa Operária, que informa os principais acontecimentos políticos do Brasil e do mundo usando seu humor irônico e ácido.

Listamos Abaixo sete charges da coluna “Pau no coco” sobre o governo Bolsonaro:

 

1) Retomada

Olavo como “astro rei” diz “é hora de dar tchau!” (ao mesmo tempo esse comando ejeta Vélez do navio) dando a deixa para o leitor de que está na hora de terminar com tudo isso: Bolsonaro pirata entregando o “pato operário” (misto de FIESP com trabalhador, ou seja, ferrando com todo mundo) aos tubarões banqueiros. O Tchuchuca Paulo Guedes no leme, Ernesto Araújo trocando a bandeira no mastro, Moro de inquisidor mor, o monte de laranja com a Damares de espreita, os filhos de Bolsonaro de posse dos canhões, os coxinhas sendo doutrinados pela “história paralela”, o general Heleno vigiando e Mourão pronto pra assumir o posto de pirata se Bolsonaro cair da prancha.

2) Distração

Bolsonaro inventando viagens e “viagens” para distrair a imprensa enquanto seus dois “pilares” seguem na paulada.

3) 171

A “famiglia” Bolsonaro, amiga das milícias: o pai parece perdido e os filhinhos dizem pra ele o que fazer.

4) Deu pra trás

Bolsonaro se oferece para fazer fiasco junto com Trump, num circo armado nas fronteiras da Venezuela e Maduro sai do episódio de “ponta firme” e Bolso e Trump com caras de bunda.

5) Um país de empreendedores

Todo mundo na rua tentando se virar na vida, como resultado do desmonte da economia do Brasil pelos golpistas.

6) Túnel

O Governo de Bolsonaro é um terror, cheio de planos e figuras assustadoras. A única saída do túnel do terror passa inevitávelmente pelo liberdade de Lula.

7) Pau no coco

 

Bolsonaro precisa urgente entregar o serviço para se manter no cargo: espremer e quebrar o Brasil para que ele caiba no formato encomendado pelo Imperialismo.