Eleições municipais
A esquerda se adapta à direita em busca de votos e fortalece a política da direita golpista
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2020-09-26 at 20.17.38
Dória, Witzel e Bolsonaro | Foto: Reprodução

As eleições municipais são uma expressão tão distorcida da polarização política do País que em muitas cidades elas são o oposto do que acontece em nível nacional. Segundo as primeiras informações levantadas, o PT está participando de coligações do o PSL (antigo partido de Bolsonaro) em pelo menos 89 cidades.

A aliança com os bolsonaristas não é o único caso de alianças da esquerda pequeno-burguesa com a direita. Já aparecem várias alianças do PT e do PCdoB com os partidos golpistas de todas os tipos. As eleições municipais mostram a frente ampla em ação: joga-se para o alto qualquer tipo de princípio e para se juntar com os maiores inimigos do povo.

Da parte do PT, essas alianças vão contra o seu interesse, estão atuando contra o partido, que não reage nacionalmente. A frente ampla logicamente é uma política que visa a isolar o PT com vistas às eleições presidenciais.

Já do ponto de vista do PCdoB, tais alianças são mais coerentes porque o partido compõe a frente ampla, que é justamente a defesa aberta da aliança com a direita.

Do ponto de vista da classe trabalhadora essas alianças são desmoralizantes e atuam contra a mobilização. Está claro que a política é aprofundar o golpe. 

Para os que falaram que era preciso unir a esquerda na eleição para derrotar a direita, a política da esquerda mostra que não apenas não vai derrotar a direita como vai fortalecê-la.

Além das alianças eleitorais, que representam uma política mais extrema de colaboração com a direita, em vários lugares a esquerda mostra uma política que procura se adaptar à direita, como é o caso do lançamento pelo PSOL de um coronel da PM como vice no Rio de Janeiro, a candidata à prefeitura de Salvador do PT, uma major da PM, e a declaração de Guilherme Boulos de que irá manter a Guarda Municipal que funciona como uma espécie de PM nas cidades.

Tudo isso mostra a política de completa adaptação à direita.Na prática, a esquerda está fazendo propaganda para a direita. A política da esquerda é uma campanha eleitoral com várias características do programa da direita. Com a desculpa de angariar votos de setores direitistas, estão fortalecendo a política da direita.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas