Menu da Rede

Em ação criminosa da polícia, dois homens são executados em MG

Cadê o "antibolsonarismo"?

Centrão se une a Bolsonaro na venda da Eletrobras

Centrão entrega privatização da Eletrobras de bandeja a Bolsonaro, mesmo se dizendo civilizado, democrático, anti bolsonarista e científico

Fachada da Eletrobras – Foto: Reprodução

Na noite dessa quinta-feira, 20 de maio, a Câmara dos Deputados aprovou a MP que facilita a privatização da Eletrobras, uma das maiores e mais importantes estatais do Brasil.

Por “facilitar a privatização”, podemos entender que na madrugada deste dia foi aprovada a MP de privatização da Eletrobras, uma demanda antiga que remete à época dos vampiros FHC e Temer e teve sua continuação com Bolsonaro, até finalmente receber esse empurrão com a benção do centrão — que, diga-se de passagem, de centro não tem nada.

Dentre os partidos que votaram inteiramente a favor (desconsiderando abstenções/ausências) estão Patriota, PSL, Republicanos e  PSC. Entre os partidos que tiveram deputados que votaram a favor da privatização estão Avante, Cidadania, DEM, MDB, PDT, PL, Pode, PP, PROS, PSB, PSD, PSDB, PTB e Solidariedade.

Nesse quadro vemos algo curioso: partidos como PSDB, DEM, MDB, PSD, PDT e PSB, ou seja, a “direita tradicional civilizada”, democrática, anti bolsonarista e científica, e a pseudo-esquerda, que são supostos aliados da esquerda na “luta contra o negacionismo”, simplesmente entregam de bandeja a maior geradora de energia elétrica da América Latina — justamente aqueles que são pintados como grande oposição atendem de bate e pronto os interesses de Bolsonaro e sua equipe, o que acaba também por tornar evidente que esses são também seus interesses.

Esse é também mais um dos fatos que entra em contradição com a CPI da Covid: essa está sendo pintada por parte da esquerda como o grande método que abriria um caminho para o impeachment quando, na verdade, é formada de diversos elementos do dito centrão que supostamente estaria lutando contra Bolsonaro, mas, ao mesmo tempo, ajudando-o.

Juntamente a isso ainda existe a porca campanha da imprensa contra Bolsonaro, a qual é uma mera brincadeira de criança quando comparada à intensa, frenética, histérica, mentirosa e golpista campanha contra os ex-presidentes Lula e Dilma durante seus respectivos governos.

É evidente que essas duas situações citadas acima são meramente uma fachada. Elas não possuem a intenção de derrubar Bolsonaro e muito menos sua política — na verdade, o único problema de Bolsonaro é que este é um pouco mais difícil de ser mantido na coleira pela burguesia, além de não ser muito aderente à demagogia que tanto fazem os integrantes do dito centrão.

Justamente por isso, é necessário para a burguesia abrir caminho para um candidato alternativo que continue com a mesma política de Bolsonaro, mas que tenha uma aparência mais palatável. E quem melhor que isso do que algum dos democráticos, anti bolsonaristas, científicos e civilizados da direita tradicional?

Como citado anteriormente, a Eletrobras é  a maior geradora de energia elétrica da América Latina, sendo responsável por cerca de 30% da geração de energia elétrica do país. No mais, é fato que a privatização, assim como sempre acontece em qualquer setor privatizado, vai pesar no bolso da população. Estimativas feitas pela plataforma Operária e Camponesa para Água e Energia e pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) afirmam que a privatização vai resultar em um aumento de cerca de 20% das contas de luz dos consumidores brasileiros. Além disso, estimativas da Abrace (Associação dos Grandes Consumidores de Energia e Consumidores Livres) apontam aumentos também no setor produtivo que refletiriam no preço, por exemplo, de alimentos básicos como carne e leite.

É importante visar também que, como em toda privatização, ocorrerão cortes de salário e funcionários, isso num cenário catastrófico de aumento incontrolável do preço de insumos básicos e do desemprego.

É nesse quesito em que a esquerda acaba por cometer grandes erros. Ao acreditar e fazer alianças com os parlamentares do centrão, fazem alianças com os bandidos políticos que deram o golpe de 2016 e colocaram Bolsonaro no poder. Além disso, já é conhecimento popular que a direita tradicional é aquela que coloca a mão na massa pela burguesia, além de ser sua porta-voz. Como visto mais uma vez na aprovação da MP, é um absurdo fazer qualquer tipo de aliança com a direita, seja no Congresso por uma reivindicação momentânea, seja em uma frente ampla (já extremamente criticada por este Diário, com razão) “anti bolsonarista, democrática, humanista e civilizada” visando às eleições de 2022.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.