Ditadura do TRE: Bandeira do PCO e até adesivos pela liberdade de Lula são confiscados em show no Rio de Janeiro

captura-de-tela-2018-07-28-as-16-24-27

Para aqueles que acreditam que as eleições desse ano serão a redenção do País, a direita golpista demonstra a todo momento que o que está colocado é justamente o contrário, com o aparato de censura e repressão cerceando as mínimas manifestações democráticas da população.

Um exemplo do que está por vir foi de materiais (jornais, adesivos etc.) que denunciam a prisão do ex-presidente Lula e pedem a sua liberdade por agentes criminosos com coletes de identificação do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro no evento cultural festival Lula Livre, ocorrido nos Arcos da Lapa, na capital do Estado, no último sábado.

Com a truculência peculiar do aparato repressivo do Estado, “os policiais do TRE” confiscaram materiais da militância da esquerda sob a alegação de que se tratava de “propaganda eleitoral”. Como se tratar de propaganda eleitoral quando o material confiscado defendia liberdade para um preso político do Estado, que encontra-se encarcerado há quase quatro meses? Pior, quando todos os candidatos fazem campanha eleitoral aberta nos meios de comunicação da imprensa golpista, que busca a todo momento, a começar pelas organizações Globo, dar como favas contadas a exclusão do líder absoluto nas pesquisas das eleições?

As arbitrariedades não pararam por aí, chegaram ao cúmulo de confiscar uma bandeira do Partido da Causa Operária, sob a mesma alegação farsesca da “propaganda eleitoral”. Ou seja, se já se trata de uma ação inquisitorial confiscar panfletos que tratam da defesa de um preso político, mas absurdo ainda é confiscar uma bandeira que tem como único “crime” ter inscrito o nome de uma agremiação partidária.

Todo o aparato golpista, a começar pelos funcionários capachos dos “donos do golpe” empoleirados no judiciário, já dão o tom da campanha: repressão a todo o trabalho de rua, popular. Absoluta liberdade para todo o tipo de manipulação pela grande imprensa, sucursal dos “donos do golpe”.

É diante desse quadro que os partidos de esquerda que verdadeiramente estejam comprometidos com os direitos democráticos do povo não podem alimentar a ilusão de que o golpe de Estado seja resolvido eleitoralmente.

Se os golpistas tiveram a capacidade de derrubar uma presidenta eleita com mais de 54 milhões de votos, agora vão entregar o “butim” pela via eleitoral? Só uma perspectiva real para enfrentar os golpistas e todo o seu aparato: é a moblização revolucionária das massas que deve passar necessariamente pelo enfrentamento direto contra o golpe a começar pela luta intransigente pela liberdade de Lula e pela defesa incondicional de sua candidature.