A esquerda na mira
Primeiro eles levam os direitistas, depois toda a esquerda
maxresdefault-2
Allan dos Santos, bolsonarista integrante do Terça Livre | Foto: Reprodução
maxresdefault-2
Allan dos Santos, bolsonarista integrante do Terça Livre | Foto: Reprodução

O YouTube removeu da plataforma, nesta quarta-feira (03), dois canais do site de extrema-direita bolsonarista Terça Livre. O banimento constitui um grave ato de censura, um atentado de grandes proporções à liberdade de expressão, não apenas da extrema-direita, mas do conjunto da população. Tal fato é a expressão do autoritarismo crescente dos monopólios de comunicação que controlam as redes sociais, hoje um dos principais veículos de informação. São os monopólios que decidem, agora de maneira aberta, o que pode e o que não pode ser dito e veiculado, uma verdadeira ditadura.

Para justificar a medida de caráter tirânico, o YouTube simplesmente, por e-mail, informou os responsáveis pelos canais que esses estavam banidos por violação grave ou repetida das diretrizes da comunidade. Evidentemente, que não se trata de mero descumprimento de diretrizes, mas de uma perseguição política de setores da burguesia imperialista com a intenção de controlar toda a informação veiculada na internet, essa medida ditatorial voltar-se-á em seguida contra a esquerda.

Um setor da esquerda pequeno-burguesa comemorou a censura feita pelos grandes monopólios. De acordo com esse setores não se trata de censura, pois seria um canal divulgador de fake news, desinformação, discurso de ódio; uma vez que o conteúdo do canal é asqueroso, como de fato era, estaria justificado o ato. A posição da esquerda, para dizer o mínimo, é de extrema ingenuidade. Acreditam, e se deixam enganar, que os monopólios que controlam a veiculação da informação na internet, que são os maiores divulgadores de mentiras, calúnias e perfídias contra os oprimidos do mundo, estão preocupados com a segurança e veracidade da informação veiculada em suas plataformas.

O fundo da posição desta esquerda é a crença na imaginária luta contra o fascismo que a direita tradicional encena, embora esteja essa falsa luta completamente desacreditada, basta ter olhos e olhar para ver. Como a esquerda pequeno-burguesa sente sua insignificância política, sua fraqueza social, apelam, pelo desespero que lhes causa a extrema-direita, para a burguesia, que essa venha ao seu socorro, de si e do regime político burguês normal a que estão acostumados e que é o seu mundo: a democracia burguesa.

Para apoiar a burguesia nessa luta – que na sua imaginação se desenrola diante de seus olhos, assim como, no celebre romance, Dom Quixote ao avistar um rebanho se aproximando imagina ser exércitos e a grande batalha na qual se encheria de glória, no final apenas conseguiu matar duas ovelhas além de perder todos os dentes da boca – abandonam todo o programa democrático de defesa dos oprimidos colocando-se como dóceis criados de seus senhores.

A liberdade de expressão, o direito de manifestar uma opinião, de criticar os poderosos, de expor abertamente uma posição contrária à hegemônica e não ser queimado vivo, preso, perseguido por isso é uma luta e uma conquista histórica dos oprimidos e que fez avançar a civilização, na medida em que possibilitou que a ciência questionasse a fé abertamente, que o operário questionasse o sistema de exploração sem parar na cadeia, que o colonizado questionasse a colonização sem ser assassinado, que o esclarecimento pudesse vir a luz e se enfrentar com o obscurantismo, sem que a fogueira fosse acesa.

Apoiar os novos inquisidores, que estabelecem o que pode ou não ser dito, jogando por terra a liberdade expressão, para com isso conseguir que o poder estabelecido cale um grupo de imbecis, tendo em vista que não só os imbecis, mas todos serão calados, é trocar ouro por latão.

O que aconteceu aos bolsonaristas do Terça Livre acontecerá ainda mais com a esquerda e em particular com a posição revolucionária, que é o polo progressista da sociedade moderna. Todas as acusações que a esquerda imputa ao Terça Livre, podem ser facilmente, com a manipulação dos monopólios, imputadas também a esquerda e, sobretudo, a extrema-esquerda, retirando-a o mais possível da internet.

No final a censura recairá somente sobre a esquerda, quando a burguesia sentir necessidade da extrema-direita serão eles mesmos que irão financiá-la, agrupá-la e divulgá-la, como fizeram de alguns anos para cá. A medida de censura à extrema-direita, além de ser antidemocrática, tentar calar um setor da polarização, para então calar o outro, a esquerda, também é profundamente hipócrita, mesmos as fake news, e todas as barbaridades ditas nesse canal e multiplicadas por 100, nem assim chegaria perto da quantidade de mentiras veiculadas pela imprensa capitalista, como pela Rede Globo, por exemplo. Por que o YouTube, o Facebook, o Twitter não cassam a conta da Globo?

Há quem diga que não devemos defender os direitos democráticos para a extrema-direita. É uma concepção torpe, os direitos democráticos são uma salvaguarda dos cidadão para se defenderem do Estado capitalista, que é o que existe no presente momento. Ou o direito é universal ou ele não existe. Vejamos o caso da liberdade de expressão, cassar esse direito ou restringi-lo significa que ele desaparecerá em primeiro lugar para os setores mais fracos da sociedade, que serão os que irão efetivamente sentir o peso da repressão. Assim, quando a esquerda, o trabalhador, os oprimidos forem se expressar contra o poder, diferentemente da extrema-direita, que não irá acontecer nada, esses irão direto para a cadeia. No embate contra a extrema-direita é a esquerda que tem que se mobilizar e organizar o povo para enfrentá-la nas ruas e pelos meios que forem necessários, mas nunca apoiar que o Estado capitalista, esse Leviatã, elimine os direitos democráticos de todos para supostamente conte-la.

A liberdade de expressão é uma conquista dos trabalhados e do progresso da humanidade, os efeitos deletérios, como ouvir as idiotices da extrema-direita, são insignificantes em relação a importância para a luta dos oprimidos pela sua libertação. A forma de combater o discurso da extrema-direita é quebrando os monopólios e democratizando o acesso e a produção de informação, ou seja ampliando os direitos democráticos e não restringindo-os. Para impedir o crescimento da extrema-direita é preciso combatê-la nas ruas, esperar que o Estado capitalista o faça é o mesmo que dar as costas ao pior inimigo.

Relacionadas
Send this to a friend