Causa Operária TV: Rui Costa Pimenta fala sobre o naufrágio dos direitos democráticos

Moro, incoming justice minister, arrives for a meeting with Brazil's President-elect Jair Bolsonaro at the transition government building in Brasilia

Conforme salientou Rui da Costa Pimenta neste último sábado (22), colocar um fascista à frente do Ministério da Justiça representa uma ameaça constante a todos os direitos democráticos do povo brasileiro.

De fato, Moro vai levar para todo o Brasil todo o abuso aos mínimos fundamentos do Estado Democrático que vimos acontecer na forma como este fascista conduziu o processo de Lula e demais lideranças petistas, transformado-os em verdadeiros procedimento de perseguição política, finalizados por condenações absurdas, sem qualquer prova, alterando-se até mesmo as acusações iniciais do Ministério Público.

Rui também salienta que o Ministério do Trabalho nas mãos sinistras de Moro consolida um completo controle policial sobre os Sindicatos, o que representa um dos maiores ataques às organizações operárias brasileiras dos últimos 50 anos.

Em resumo, se a Justiça nunca foi muito digna confiança do povo, agora as instituições tendem a serem completamente transformadas em simples fachadas para a repressão e policiamento de todo o povo, principalmente no que se refere às organizações populares, operárias e partidos de esquerda em geral.

O plano golpista é transformar o Estado brasileiro em um Estado francamente policial, sem nenhuma obrigação de garantir direitos, mas somente cumprindo uma função de fiscalizar, controlar e reprimir brutalmente as ações de todos, principalmente os movimentos de luta dos explorados mais organizados e independentes.

É a concretização do plano imperialista baseado na doutrina da contrainsurgência, elaborada nos EUA, que considera haver “excessiva participação popular” nos regimes políticos latino-americanos e que visa a tirar totalmente o povo do cenário político brasileiro, calando, na marra, toda e qualquer oposição séria ao regime.

Por isso derrubaram o Ministério do Trabalho, colocando os sindicatos na mão da polícia, com a chefia de um claro agente fascista.

Não resta dúvida que se torna cada vez mais necessária a ação direta do povo organizado, em movimentos de forte pressão contra o Estado burguês, único meio que poderá frear os planos golpistas.

Para se organizar e lutar com eficiência, é fundamental estar muito bem informado, longe da manipulação da imprensa burguesa.

Diferente de outros momentos da história brasileira, hoje podemos contar com uma imprensa operária séria, baseada na militância e nos fundamentos científicos do marxismo, que dá condições ao companheiro Rui Costa Pimenta analisar, em profundidade, todos os acontecimentos políticos do momento, servindo como uma verdadeira bússola de todo a luta contra o golpe.

Por isso, não perca, todos os sábados, às 11:30hs, o programa Análise Política da Semana, reflexão fundamental para todos que queiram lutar de forma efetiva contra o golpe, com uma visão clara dos acontecimentos atuais e dos rumos da política de nosso tempo.