Siga o DCO nas redes sociais

Epidemia na Paraíba
Casos de dengue aumentam 67% na Paraíba
A elevação de casos de dengue, uma verdadeira epidemia, demonstra que situações básicas da vida urbana não são providenciadas, mas agravadas devido às demissões no serviço público
Aedes-Rafael-Neddermeyer-Fotos-Públicas v2
Epidemia na Paraíba
Casos de dengue aumentam 67% na Paraíba
A elevação de casos de dengue, uma verdadeira epidemia, demonstra que situações básicas da vida urbana não são providenciadas, mas agravadas devido às demissões no serviço público
LIRAa: 60,08% das cidades 134 estão em estado de alerta: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas
Aedes-Rafael-Neddermeyer-Fotos-Públicas v2
LIRAa: 60,08% das cidades 134 estão em estado de alerta: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

O estado da Paraíba registrou 66,99% de aumento de casos de dengue até o dia 26 de novembro deste em relação ao mesmo período do ano passado. São 17.560 casos atuais, em 2018 foram 10.516.

Chikungunya e zika também aumentaram. Em 2019 são 1299 notificações de chikungunya contra 958 do ano anterior, um aumento de 35,59%. E zika 391 contra 364, 7,42% de elevação.

Sendo o Sertão do estado mais afetado, principalmente o município de Teixeira, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Em seguida as cidades que também registraram maior incidência são Lucena, João Pessoa, Caaporã, Princesa Isabel, Água Branca, Juru, Areia, Esperança e Alagoa Nova.

Talita Lira, gerente de Vigilância em Saúde, revela que os dados apontam que o estado está tomado por uma epidemia. Ela alerta que “o coeficiente de incidência da Paraíba já ultrapassa 300 por 100 mil habitantes, o que indica que tivemos um ano de epidemia, fato que reforça a necessidade de aumentar a vigilância contra o Aedes”.

É preciso controle e combate das arboviroses. Intensificar a limpeza urbana. Dados do Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa) constatam que 60,08% das cidades da Paraíba (134) estão em estado de alerta.

O aumento elevado de casos de dengue, uma verdadeira epidemia, de zika e chinkugunya demonstra que situações básicas da vida urbana não são providenciadas pelos órgãos públicos. O que tem agravado por conta das demissões dos serviços públicos.

O golpe de estado está transformando o país em uma verdadeira catástrofe social. Com desemprego na casa de dezenas de milhões, privatizações de todos os setores, incluindo a Saúde! Alta inflação de alimentos, o que leva a população a uma situação de completa miséria e abandono do Estado.

Por isso, para derrotar a política dos golpistas para a Saúde, é preciso derrubar imediatamente o governo Bolsonaro e exigir nas ruas eleições gerais com Lula candidato. Os trabalhadores terão de todo o Brasil podem ingressar nesta luta através da 2ª Conferência Nacional Aberta dos Comitês de Luta nos dias 14 e 15 de dezembro.