Aqui não se fala mal do futebol brasileiro

Perseguição bolsonarista

Carol Solberg é absolvida por Tribunal no vôlei

A atleta Carol Solberg foi inocentada pelo STJD numa apertada votação virtual de 5x4. No entanto, a política de censura da esquerda nos esportes continua.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A jogadora de vôlei de praia Carol Solberg. – Foto: Reprodução.

Redação do DCO

Vitor Lara

No último dia 16, a jogadora de vôlei de praia Carol Solberg foi inocentada no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva, o STJD. O caso da jogadora ficou muito famoso meses atrás, quando Solberg foi perseguida pela direita por gritar ao vivo pela televisão aquilo que está nas mentes dos trabalhadores brasileiros: “Fora Bolsonaro”.

Em meados de setembro deste ano, Carol Solberg estava sendo entrevistada pelo canal SporTV, da golpista Globo, depois de uma partida do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. No meio da entrevista, que estava sendo transmitida ao vivo, a jogadora deu vazão ao desejo popular e gritou “Fora Bolsonaro”. O protesto causou grande mal estar no interior da globo, que alguns por algum motivo inexplicável acreditam ser inimiga de morte de Bolsonaro. 

No entanto, a globo não foi a única a repudiar a atitude de Solberg. Além da campanha generalizada da imprensa, a atleta também foi perseguida pela própria Confederação Brasileira de Vôlei, a CBV. Logo após o acontecimento, a CBV publicou uma nota de repúdio a sua manifestação pelo “Fora Bolsonaro”. Chama atenção a ridícula posição bolsonarista da CBV, que não moveu uma palha contra atletas que inclusive fizeram campanha por Bolsonaro nas eleições de 2018, como os jogadores da seleção masculina de Vôlei Wallace e Maurício.

A perseguição política a Solberg se refletiu em uma perseguição jurídica/administrativa que ultrapassou a CBV. Solberg foi denunciada pela procuradoria do STJD pelo ‘crime’ de se manifestar politicamente. A atleta foi enquadrada em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, o CBJD, com penas que poderiam chegar até a soma de R$ 100.000,00! Não foi possível ocultar que a perseguição a Solberg se deu através do gigantesco patrocínio que a CBV recebe do Banco do Brasil, este fato apareceu até na grande imprensa capitalista.

Toda esta perseguição foi acompanhada por uma ampla campanha de denúncia neste Diário e outros veículos da esquerda nacional. Agora, passado o primeiro turno das eleições municipais, que resultaram em uma vitória política do “centrão” e uma derrota tanto da esquerda quanto do bolsonarismo, Carol Solberg foi finalmente inocentada em um placar apertado de 5 votos contra 4 em um julgamento virtual. O sítio UOL, ligado à Folha dá maiores informações sobre este julgamento.

A mera leitura da manchete daria a impressão de que se trata de uma grande vitória popular contra a extrema-direita representada pelo presidente Jair Bolsonaro. Embora seja preciso defender a atleta contra a perseguição bolsonarista, vemos na matéria do UOL que o julgamento teve direito à leitura de um artigo do apresentador global Tiago Leifert. Todos os auditores que participaram da votação, que seriam o equivalente aos juízes do STJD, ressaltaram que Solberg estava errada em se manifestar politicamente. O auditor Vantuil Gonçalves Junior por exemplo, que votou por uma advertência à Solberg, leu um texto de Leifert para justificar o seu voto: “Quando política e esporte se misturam dá ruim. A gente precisa respirar. Você liga no basquete, no vôlei, no futebol para ter umas duas horas de paixão, suspense, humor”.

Os auditores foram unânimes em condenar a manifestação política de Solberg, afinal, como estabeleceu a globo através da voz de Leifert, é preciso que o esporte seja uma atividade completamente despolitizada. Obviamente que a censura e a despolitização só favorecem a direita. Diante da enrascada da condenação da atleta, um caso de censura que repercutiu muito mal, a direita acabou inocentando Solberg, sem no entanto marcar posição no que diz respeito ao cerceamento ao direito de expressão dos atletas, principalmente quando se tratam de posições populares e de esquerda. O fato de Carol Solberg ter sido inocentada pode ser comemorado, mas é preciso lutar para que os atletas, e afinal todo o povo brasileiro tenham total liberdade de expressão política.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.