Ditadura burguesa
Trata-se de uma perseguição e de uma tentativa de estabelecer uma ditadura na qual só podem falar aqueles que guardam alguma simpatia pelo regime
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
N6WYUTITGVGX7ALG4XV35MEIPE
Carol Solberg chama Fora Bolsonaro em evento esportivo | Foto: reprodução

Ao contrário da posição vergonhosa da esquerda pequeno-burguesa, que decidiu esquecer o Fora Bolsonaro nas eleições municipais e tem adotado a política da “frente ampla”, de apoio com os golpistas, a jogadora de vôlei Carol Solberg, mesmo sendo perseguida pelo Judiciário e por todas as instituições que regulamentam o esporte, continua denunciando o caráter golpista e reacionário do governo Bolsonaro. Solberg ganhou repercussão nacional após aparecer em uma entrevista ao vivo gritando Fora Bolsonaro. Embora um fato importante, que mostra o aumento da polarização política, o fato não teria tanta repercussão se não fosse a reação da direita golpista após a entrevista.

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), por sua vez, emitiu uma nota em repúdio contra Carol Solberg, o que motivou que a jogadora fosse julgada no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Uma verdadeira censura contra a jogadora! E, o que é pior: o subprocurador Wagner Vieira Dantas, que denunciou Carol Solberg, ao STJD, pediu pena máxima para a jogadora. No fim das contas, a jogadora foi advertida pelo STJD, o que serviu, na prática, para consolidar a ditadura e a censura dos golpistas contra a jogadora.

Em entrevista recente, Carol Solberg não baixou a cabeça para os bolsonaristas que querem impor uma censura total no esporte. Disse ela: “Fiquei surpresa (com a repercussão). Mostra bem o lugar em que a gente está, neste momento do país. Tenho certeza de que se eu tivesse gritado ‘Bolsonaro, mito!’, nada teria acontecido. O Felipe Melo (jogador do Palmeiras) dedicou um gol ao presidente e não aconteceu nada. Os jogadores da seleção masculina de vôlei Maurício e Wallace fizeram o número 17 com as mãos e também não foram punidos. E eles se manifestaram no auge da campanha eleitoral”.

A denúncia da jogadora é correta: a perseguição a sua figura nada tem a ver com o cumprimento a algum regulamento, conforme foi levantado por Wagner Vieira Dantas. Trata-se de uma perseguição e de uma tentativa de estabelecer uma ditadura. Uma ditadura em que só podem falar aqueles que guardam alguma simpatia pelo regime.

A ditadura, contudo, não se dá apenas no esporte. As próprias eleições têm mostrado como a burguesia está disposta a calar todos os seus adversários. Partidos como o PCO, que vem convocando os trabalhadores para derrubar o governo, estão sendo sabotados e censurados a todo instante. Para superar essa ditadura, é preciso mobilizar todos os explorados pelo Fora Bolsonaro, por Eleições Gerais e Lula presidente.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas