Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Na madrugada desta segunda-feira (12) a escola de samba Paraíso do Tuiuti surpreendeu a todos com seu desfile na Marquês de Sapucaí. Falar sobre a escravidão no Brasil é um espinho na garganta dos conservadores e retrógrados de todos os matizes. Porém, a escola trouxe uma abordagem atual e coerente com a realidade do País: golpe de Estado, destruição dos direitos da classe trabalhadora, liquidação do patrimônio público e o papel da classe média como base “popular” para tudo isso. Fato curioso é que essa denúncia utilizou-se do monopólio da própria imprensa golpista, uma das armas do inimigo, representado sobretudo pela rede Globo, para alcançar projeção internacional.

Numa síntese crítica as alas da escola apresentaram de negros escravizados e pretos velhos aos histéricos paneleiros montados em patos da FIESP, carteiras de trabalho queimadas seguradas por trabalhadores com seis braços, trabalhadores informais (ambulantes) e a cereja do bolo: um presidente vampiro, alusão clara e nítida a Michel Temer.

Claro que os porta-vozes dos senhores do Golpe tiveram de colocar em prática o plano B para não darem ainda mais visibilidade a esta perda de controle da situação.

No dia seguinte ao desfile, no principal telejornal da emissora, o Jornal Nacional, a Globo, no resumo da cobertura do desfile das escolas do dia anterior, deu menos tempo em tela à Paraíso do Tuiuti. Enquanto as demais escolas tiveram pelo menos um minuto ou mais no telejornal; a escola que denunciou o golpe recebeu a metade, 35 segundos.

A manipulação e dissimulação ocorreu em outro programa da emissora, “Encontro”, que recebeu representantes da Escola. Era perceptível o constrangimento dos apresentadores, certamente orientados a não darem vazão a qualquer fala sobre as críticas sociais que, indiretamente, atacam também o império dos Marinhos. Então, os globais fizeram paparicos a uma abstrata e sentimental abolição da escravatura. Em nenhuma das imagens do desfile apresentadas neste programa apareceram o presidente vampiro ou os passistas fantasiados de coxinhas manipulados.

Mesmo que a burguesia ouse atacar a herdeira da Unidos do Tuiuti e Paraíso das Baianas por sua rebelião, certamente ela já conseguiu seu lugar na história dos carnavais e no gosto do povo.

A despeito de todo show business feito sobre os vários carnavais no País, notadamente São Paulo, Rio de Janeiro e estados do Nordeste, esta festa é o que há de mais popular no Brasil. Evento de massas na qual multidões de trabalhadores vão às ruas para se aliviar, brincar e trabalhar. As escolas de samba têm suas raízes nas comunidades pobres, superexploradas, invadidas constantemente pela polícia militar assassina, com muitas famílias lideradas por homens e mulheres negros e descendentes de escravos.

A bem da verdade a burguesia e direita golpista querem cercear o carnaval de massas, reprimir o povo e transformar o evento em diversão para quem pode pagar. Pois o povo na rua significa ameaça aos donos do País.

Por fim, é necessário intensificar a luta contra o Golpe de Estado e toda a desgraça que ele impõe aos trabalhadores. Combater a perseguição da direita que quer prender o ex-presidente Lula, pressionar o Supremo Tribunal Federal a julgar a ilegalidade do impeachment que depôs Dilma Rousseff, legítima presidenta, e a organização das massas populares e suas organizações contra os golpistas, notadamente, com a formação dos Comitês de Luta Contra o Golpe (ou qual nome receberem), são as tarefas do momento. E defender o fim da Globo e do monopólio da comunicação.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas