Um grupo da direita fascista está organizando um bloco de carnaval para participar do carnaval de São Paulo. Denominado de Porão do DOPs, o bloco fará uma homenagem a um dos maiores carrascos dos movimentos populares, da juventude e da classe trabalhadora durante a ditadura militar, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. O torturador comandou, no período militar, o DOI-Codi, um centro de detenção responsável pelo assassinato de dezenas de ativistas, militantes, trabalhadores e jovens que atuaram contra o regime militar.

Estima-se que durante a gestão de Ustra, mais de 50 pessoas foram assassinadas nos porões do DOI-Codi. É necessário, destacar, primeiramente que o carnaval é uma festa popular, da classe trabalhadora, dos setores mais pobres, oprimidos e explorados da sociedade brasileira. Uma comemoração que expressa a cultura, a diversidade do povo brasileiro, a sua história e suas lutas. Nesse sentido não há qualquer espaço no carnaval para a presença de um grupo fascista, uma verdadeira escória social que se coloca abertamente contra a população mais pobre e trabalhadora, os negros e todos os setores oprimidos.

Em segundo lugar, é necessário chamar todas as organizações de esquerda, os blocos populares de carnaval a se organizarem e combaterem de maneira enérgica a presença dos fascistas na maior festa popular do país. O carnaval é a festa do povo e não daqueles que estão do lado da direita, da corja golpista responsável pela destruição de todos os direitos da população, pelos massacres no campo e as milhares de mortes nas periferias. É preciso botar para correr as galinhas fascistas do carnaval brasileiro.

Relacionadas