Nordeste
Neste domingo (1), o fornecimento de água por meio de carros-pipa no Nordeste será interrompido em meio à seca que atinge a região. Jair Bolsonaro tinha conhecimento da situação.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
image
Abastecimento de água para uma família nordestina. | ALEX PIMENTEL.

Neste domingo (1), o fornecimento de água por meio de carros-pipa no Nordeste foi interrompido em meio à seca que atinge a região, o que deixou milhões de famílias sem acesso a este recurso básico para a sobrevivência. A situação se agrava com a pandemia do coronavírus, pois a água é essencial para a higienização e proteção contra a doença.

O governo Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) tinha conhecimento de que faltariam recursos para a continuidade da Operação Carro-Pipa, que distribuía água para cerca de 850 municípios sob responsabilidade de militares do Exército. Integrantes do governo federal informaram as autoridades estaduais e municipais da Bahia e Pernambuco sobre a interrupção do serviço nesta sexta-feira (30), isto é, alguns dias antes da interrupção definitiva do serviço.

O Congresso Nacional, presidido em suas duas Casas pelo partido político DEM, não colocou em votação um PLN que destinaria recursos para a manutenção da Operação Carro-Pipa. O Ministério do Desenvolvimento Regional, caso fosse votada a medida, receberia créditos para dar sequência à distribuição de água para a população assolada pela seca. A manutenção da Operação até o final do ano exige um volume de recursos de R$ 142 milhões.

Os prefeitos da região do semiárido salientam que não têm condições de substituir o serviço prestado pelo Exército, por falta de infraestrutura e dinheiro. Em geral, os municípios do semiárido dependem dos repasses e iniciativas federais, uma vez que não têm recursos próprios.

A súbita interrupção da distribuição de água para a população nordestina demonstra qual a política da extrema-direita para com as necessidades fundamentais da população. O presidente da República já tinha conhecimento de que não haveria recursos, porém nada fez para resolver o problema. Acrescente-se a isso a provação da legislação que promove a privatização dos sistemas de saneamento básico, aprovado no Senado Federal.

Os golpistas não têm preocupação com as condições de vida do povo. Enquanto a situação se deteriora, medidas são propostas no sentido de atender ao interesse dos grandes capitalistas, bancos e instituições financeiras. Por sua vez, a PEC do Teto de Gastos, que congelou os investimentos públicos por 20 anos (de 2016 até 2036) inviabiliza que investimentos públicos sejam feitos para atacar o grave problema da falta de água no país.

É preciso mobilizar a população pela derrubada do governo fascista de Jair Bolsonaro.  O Estado deve garantir os recursos necessários para a continuidade do abastecimento de água nas regiões atingidas pela seca.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas