O Estado garante os lucros
Empresários pedem a privatização da infraestrutura, e em seguida pedem para o Estado investir no setor, e, depois, eles se apoderam de tudo sem custos ou investimento
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
8102618083_6309e40d1e_c (1)
PI 140 - BR 324 no Piauí | Foto: Agencia CNT de notícias

Matéria recente no jornal Estadão informa que a Abdib (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústria de Base), estará lançando o Livro Azul da Infraestrutura em um futuro próximo e consta cerca de 400 projetos de concessão e PPPs (parcerias público privada) desenvolvidos pelo governo federal em um número de 100, e os estados em número de 300.

São projetos para investimento com verbas do estado em rodovias, logística, ferrovias, portos, aeroportos, saneamento e linhas de transmissão de energia. A soma supera os 300 bilhões de reais e espera receber quase 120 bilhões entre 2021 e 2025. Com esse programa a Abdib espera aumentar de 15% para 30% a quantidade de rodovias privatizadas.

O ex-presidente do banco Fator e atual presidente executivo da Abdib, Venilton Tadini, critica os baixos investimentos do estado, menos de 0,5% do PIB, e que serão necessários aumentar para 2,26% do PIB a cada ano. Diz que o estado reduziu os investimentos e que não cortou nas despesas de custeio e de pessoal. Isso faz com que a economia cresça menos do que poderia. Elogiou as recentes mudanças no marco regulatório do saneamento e o “amadurecimento” dos órgãos de controle como o Tribunal de Contas da União (TCU).

Bom, os elogios ao marco regulatório do saneamento indicam aprovação à privatização proposta pelo marco regulatório e ao “amadurecimento” dos órgãos de controle, refere-se à diminuição do controle e portanto maior liberdade em relação às leis.

Aqui fica clara a proposta de usar verbas do estado para assegurar melhores ganhos para a iniciativa privada, as empresas parasitas do estado que lucram à custa do dinheiro público. Lembrando que promessas de campanha do presidente Bolsonaro incluíam privatizar tudo. 

O marco regulatório do saneamento aprovou a privatização dos serviços de água e esgoto no país. A Petrobras vem sendo fatiada e vendida aos pedaços e já resta muito pouco dela. Outras tantas empresas estão na mira de privatizações também, como a Caixa Federal, os Correios, Banco do Brasil, Eletrobras, etc.

Como muitas dessas empresas estão no setor de infraestrutura somadas às rodovias, portos, aeroportos, etc e que parte delas já estão privatizadas, investir com verbas do estado significa usar o dinheiro público para  garantir ganhos privados.

Todo o setor de infraestrutura está sendo passado para a iniciativa privada, parte dele já o foi, e o restante está em vias de ser, portanto entendemos que os capitalistas estão fazendo de tudo para que o estado invista no setor, coisa que deveria ser feita por eles próprios, e assim ganham dinheiro sem investir nada. Recebem as empresas que controlam esses serviços sem dívidas e sem gastar com investimentos e manutenção. O único trabalho que terão será se apropriar dos lucros no caixa da empresa. 

Por muito tempo esses capitalistas vem fazendo pressão para que o estado privatize a infraestrutura. Agora que as aprovações para privatizar no congresso estão indo de vento em popa, fazem pressão para que o estado invista, deixe tudo pronto e organizado para eles se apropriarem e lucrar sem nenhum esforço.

Como trata-se de dinheiro público, quem estará pagando a conta é o povo, é o trabalhador que paga a grande maioria dos impostos arrecadados no país. Aí o Estado recupera tudo que está em más condições e entrega tudo organizado e limpo para o capital, que não terá custo nenhum.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas