Medo da burguesia
A lista de indicações ao Prêmio Emmy deste ano trouxe um número recorde de atores negros. Não é uma valorização do povo negro, apenas mais exploração.
black lives matter
Protestos contra a morte de George Floyd no Brooklyn, Nova York | Foto: Angela Weiss/AFP
black lives matter
Protestos contra a morte de George Floyd no Brooklyn, Nova York | Foto: Angela Weiss/AFP

Neste domingo acontecerá a entrega dos Prêmios Emmy, considerado o mais importante da televisão americana. Nesta ocasião, a 72ª edição do evento será virtual, devido à pandemia do Covid-19. Será transmitida pela televisão, com a apresentação de Jimmy Kimmel.

Neste ano a disputa pelos prêmios reflete a luta pelo público entre os canais por serviço de streaming, os da televisão paga a cabo e os tradicionais da TV aberta americana.

Nesse sentido se constata que há um predomínio dos serviços de streaming, com a Netflix a frente de todos os outros concorrentes. No total, a Netflix ficou com 160 indicações ao prêmio, um recorde. O seu concorrente mais próximo é a HBO, um canal a cabo, que neste ano se destacou pela série “Watchmen”, que sozinha teve 26 indicações. Outros canais ascendentes são a Amazon Video e Apple TV.

Uma das coisas que mais chamou a atenção para esta entrega de prêmios foi o fato de que neste ano, um terço das indicações foi para atores negros, algo inédito até então. Segundo a Academia de Televisão o aumento do número de indicações para atores negros foi em razão de seu esforço para impulsionar a diversidade racial. O que a Academia não diz é que isso foi um reflexo das manifestações que ocorreram neste ano nos Estados Unidos após o caso escandaloso de George Floyd, assassinado pela polícia por asfixia em 25 de maio passado. O caso Floyd acabou gerando uma série de manifestações em dezenas de cidades americanas, o que impulsionou o movimento Black Lives Matter, se espalhando por todo o mundo. Após o caso de Floyd, vários outros casos de assassinatos de negros aconteceram no país, sempre vítimas da violência policial.

Apenas por isso que a Academia de Televisão se preocupou em indicar tantos negros, como uma forma de conter e amenizar o ânimo da população negra. Fica evidente este fato quando se constata que a presença de atores latinos nas indicações é igual a zero. Este fato não passou despercebido pela comunidade latina americana que não viu indicações por séries bem-sucedidas, com temáticas que refletem sua realidade como “One Day At A Time”, “Vida” e “Gentefied”, que abordam temas e personagens latinos. Estas foram solenemente ignoradas pela Academia, já que não foram destaque nos protestos, o mesmo ocorrendo com os atores de origem asiática.

O Emmy e a Academia de Televisão são expressões da burguesia americana, redes de televisão com altíssimos investimentos e que não têm interesse algum em diversidade racial, social ou intelectual. Seu único e exclusivo interesse é o monetário e, para tanto, usa de demagogia para agradar os vários setores da população a que se dirigem. Por isso existem séries para latinos, séries para negros ou para asiáticos, séries sobre homossexuais, sobre mulheres ou sobre os pobres.

O Emmy é feito, também, para o agrado do ego desses atores, muitos deles apenas marionetes controladas por seus empresários, pelas produtoras e pelos canais de televisão. Para o capitalismo, os temas das séries não têm importância. Não são feitos para mudar alguma coisa na sociedade, apenas para dar lucro. A presença de atores negros não significa uma valorização do povo negro, é apenas exploração e demagogia.

Não nos esqueçamos de figuras como Kanye West, um artista negro, um rapper que se alinhou completamente à direita, defendendo Donald Trump, a quem chamou de “irmão” e de “meu garoto” e que declarou que a escravidão “é uma opção”. West pode ser apenas ingênuo e manipulado, mas estas declarações mostram que ele é o equivalente a um capitão do mato, um negro que defende o lado de seu patrão. E casos como o dele não são raros, boa parte da classe artística não tem nenhuma consciência de classe e é  facilmente manipulada pela burguesia para defender os seus interesses.

Relacionadas
Send this to a friend