Abaixo as reformas golpistas!
Imprensa burguesa defende mais reformas golpistas para esmagar a população e garantir os lucros da burguesia, os alvos da vez são a reforma tributária e a reforma administrativa
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
CAMPINAS, SP, 26.03.2018: MORADORES-SP - Pessoas em situaÁ„o de rua no centro de Campinas, interior de S„o Paulo. (Foto: Luciano Claudino/Codigo19)
Moradores de rua em frente à agência bancária. | Foto: Reprodução

No seu editorial de ontem (19/10) o jornal ultra reacionário e golpista “O Globo” defendeu com afinco a reforma tributária e administrativa, ou seja, a transferência ainda maior das riquezas dos trabalhadores o para os capitalistas nacionais e para o imperialismo. O jornal ainda prevê que o povo, que este ano se encontra literalmente em sua maioria desempregado e numa crescente situação de miséria e de fome, deve ser ainda mais esmagado a partir de 2021 para se evitar a “crise dos estados”, leia-se decrescimento dos lucros de alguns empresários.

O jornal de forma cínica alega que para se garantir os gastos necessários com a saúde, a educação e a segurança pública e a assistência social é preciso realizar uma grande reforma tributária e administrativa para acabar com a “ desorganização fiscal burocrática federativa” seja lá o que isso quer dizer. O jornal culpa a crise econômica dos municípios na ausência dessas reformas que beneficiam a burguesia ao invés de culpar os verdadeiros os parasitas que flagelam a nação sejam os capitalistas nacionais que exploram cada fez mais o trabalhador sem direitos seja o imperialismo que expolia completamente todas as maiores riquezas do país da Petrobras aos Correios.

O jornal golpista segue em seu argumento dizendo que apenas a partir de abril de 2021 seria necessário aplicar as reformas para transferir mais dinheiros aos capitalistas, e que isso é insuficiente. A imprensa burguesa expressa os interesses da burguesia e nos editoriais costuma se indicar o que ela considera mais relevante, isto é, para se salvar eles pretendem forçar o quanto antes essas reformas em um povo que já se encontra num estado de miséria generalizada. O jornal golpista passa a atacar a própria constituição falando que ela não permite as reformas desejadas pelos capitalistas e por isso deve ser alterada, assim como as eleições de 2018 caso seguissem a constituição elegeriam Lula e por isso ela teve de ser rasgada.

De acordo com O Globo o ICMS, principal fonte de arrecadação estadual, esta sob um regime de “guerra fiscal” e de excessivas 27 leis que problematicamente não permitem mais “incetivos à empresas privadas”, leia-se cancelar a taxação da burguesia para aumentar seus lucros. Toda o editorial é ridículo, a única guerra que existe é a guerra de classes, e no caso a burguesia e seu jornal tenta impor a sua vontade esmagando cada vez mais a classe operária. Os trabalhadores tem como única alternativa a sua organização para que todo peso da crise recaia sob os ombros da burguesia que deve carregar todo o peso do capitalismo em decadência.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas