Capitalistas disseminam propaganda milionária ilegal contra o PT e pró-Bolsonaro

whatsapp-8489954

Da redação – Empresas como a Havan, cujo dono é bolsonarista declarado e coage seus empregados a votarem em Bolsonaro, estão em uma campanha milionária no WhatsApp disseminando centenas de milhões de mensagens manipuladas a favor de seu candidato de extrema-direita e contra Fernando Haddad, candidato do PT.

Cada contrato de serviço de disparo em massa de mensagens chega a custar 12 milhões de reais, segundo o jornal golpista Folha de S. Paulo. Os capitalistas envolvidos, e, como já foi noticiado, muitos deles sendo estrangeiros e estando fora do País (imperialistas), compram serviços de outras empresas. Segundo a legislação eleitoral aprovada há cerca de dois anos, é proibido doação de empresas a campanhas de candidatos, e essas, além disso, não são declaradas.

Outra violação, da privacidade de dados de usuários da rede, é que as empresas vendem ilegalmente contatos de milhões de usuários sem sua autorização.

Fica claro que quem está por trás de Bolsonaro são os capitalistas, a burguesia e o próprio imperialismo, que bancam a campanha do candidato de extrema-direita para que este chegue ao poder e implemente uma política de ataques brutais aos trabalhadores, entregando os recursos públicos e nacionais aos tubarões capitalistas e ao imperialismo.

Além disso, a legislação que impede doações de empresas privadas a candidatos se mostra também muito débil, uma vez que os candidatos da burguesia encontram diversos meios diferentes de receberem dinheiro dos capitalistas para atacar o povo.

Também, as ações judiciais contra as chamadas “fake news” não adiantam de nada para barrar a disseminação de mentiras por parte da direita. Ela tem carta branca para manipular e divulgar informações, tanto nas redes sociais como no monopólio da imprensa burguesa. O suposto combate às notícias falsas serve apenas para censurar a esquerda, como a direita já vem fazendo de maneira mais profunda nos últimos meses.