Ásia
Dados divulgados pelo Ministério da Administração Interna do Japão apontam a queda de 11% no consumo das famílias. Devido à queda na economia, o país está em recessão técnica.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
naom_547eb6f645736
Crise na economia japonesa anuncia crise geral do sistema capitalsita | Foto: Reprodução

A 3ª maior economia do mundo, o Japão, registrou queda de 11% no consumo doméstico no mês de abril, segundo dados publicados pelo Ministério da Administração Interna. A retração na economia é a maior verificada no período de quase duas décadas (2001) e é o principal impacto da pandemia do coronavírus.

Trata-se da sétima queda mensal consecutiva desde o mês de outubro de 2019. Em maio, o país asiático entrou em recessão, com um contração de 0,9% em seu Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre do corrente ano. A última recessão registrada pelo Japão foi em 2015. A queda de abril é atribuída, em parte, ao declínio nos gastos com transportes, telecomunicações e lazer.

A situação é classificada como a pior recessão desde a 2ª Guerra Mundial, quando o país foi completamente destruído e ocupado militarmente pelos Estados Unidos. Oficialmente, o país entrou em recessão técnica, que se caracteriza por  dois trimestres consecutivos de variação negativa no PIB.

A economia capitalista japonesa, uma das mais desenvolvidas do mundo, já apresentava há muito tempo baixo crescimento econômico. A crise do coronavírus aprofundou a tendência de queda na economia, transformando-a em uma recessão brusca. Um massa de pequenos capitalistas está indo à falência e as receitas do Estado despencaram. Com a crise, o que se visualiza é o fortalecimento dos grandes monopólios, que vão se expandindo e acabam por dominar fatias ainda maiores do mercado mundial.

As exportações japonesas caíram 6% entre os meses de janeiro e março. A empresa automotiva Toyota, uma das maiores do mundo, projeta uma queda de 80% no lucro operacional no ano fiscal que termina em 2021.

O governo do Primeiro-Ministro Shinzo Abe tem sido incapaz de impedir a queda na atividade econômica, ainda que tenha injetado quase 1 trilhão de euros ( cerca de 5 trilhões de reais) na economia em forma de empréstimos e doações.

A situação do Japão evidencia a crise geral do sistema capitalista. Todos os países desenvolvidos – EUA, Itália, França, Espanha, Inglaterra – são incapazes de enfrentar a pandemia e dar uma saída para o declínio econômico acentuado que ameaça convulsionar o globo. Os governos têm despendido centenas bilhões de dólares para salvar os bancos e as instituições financeiras, enquanto o desemprego e a miséria crescem a olhos vistos como resultado da destruição econômica. Em relação ao Covid-19, os dados oficiais mostram 17.103 casos confirmados e 914 mortes no Japão. Em termos globais, são 6.663.304 infecções e 392.802 mortes, sendo que os Estados Unidos é o primeiro na lista.

 

 

 

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas