Crise do coronavírus
Mesmo com filas de pessoas desesperadas por internação, há pelo menos 2,7 mil leitos desocupados na cidade do Rio de Janeiro. 959 deles já estariam prontos para o uso
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
11/01/2018- Rio de Janeiro - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella fala durante evento de apresentação da agenda do carnaval da cidade. 
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil |

Da redação – Mesmo com as filas de pessoas esperando por uma internação, 2.700 leitos hospitalares que fazem parte do SUS estão desocupados. Desses leitos, 959 estariam já prontos para o uso, enquanto os outros necessitam de reparos e de pessoal para trabalhar. A maioria dos leitos foi fechada recentemente, o que demonstra o sucateamento do sistema de saúde por parte da direita que comanda o Estado e a cidade do Rio de Janeiro.

Nos números demonstrados, não foram incluídos os leitos particulares, que deveriam estar disponíveis para toda a população e não somente para aqueles que podem pagar. Também não foram considerados os leitos que são destinados a atender outras áreas.

Na manhã dessa quinta, Crivela inaugurou o hospital de campanha do Rio centro com 400 leitos a menos do que poderia ser entregue, sem prazo para o restante dos leitos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas