Siga o DCO nas redes sociais

Só faltava essa…
Capachos dos norte-americanos acusam Maduro por crise no Equador
A nota revela o profundo alinhamento destes países com o imperialismo norte-americano que tiraram uma nota de repúdio contra as manifestações.
equador
Só faltava essa…
Capachos dos norte-americanos acusam Maduro por crise no Equador
A nota revela o profundo alinhamento destes países com o imperialismo norte-americano que tiraram uma nota de repúdio contra as manifestações.
Foto: Rodrigo Buendia / AFP
equador
Foto: Rodrigo Buendia / AFP

Da redação – Sete países latino-americanos anunciaram na última terça-feira (8) “firme apoio” ao presidente neoliberal do Equador, Lenin Moreno, e rejeitaram a suposta ação do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e seus “aliados” para “desestabilizar” o país, convulsionado pela alta nos preços do combustível e os ataques do governo contra a população.

“Os governos de Argentina, Brasil, Colômbia, El Salvador, Guatemala, Peru e Paraguai manifestam seu profundo rechaço a toda tentativa de desestabilizar os regimes democráticos legitimamente constituídos e expressam seu firme apoio a todas as ações empreendidas pelo presidente Lenín Moreno”, diz a nota divulgada em Bogotá pelo Ministério de Relações Exteriores.

“(Os governos) rejeitam toda ação destinada a desestabilizar nossas democracias por parte do regime de Nicolás Maduro e dos que buscam estender os alinhamentos de sua nefasta obra de governo aos países democráticos da região”, completa.

Moreno acusou Maduro e o ex-presidente do país, Rafael Correa, de estarem tramando um plano de desestabilização do país para tirá-lo do poder.

A nota revela o profundo alinhamento destes países com o imperialismo norte-americano, uma vez que na segunda-feira (7), os EUA tiraram uma nota de repúdio contra as manifestações e acusaram Maduro de estar por trás disso.