General Mourão, vice de Bolsonaro, promete invadir a Venezuela em caso de vitória da extrema-direita

Bolsorão fidelix

Assim como o governo golpista de Michel Temer, o general Hamilton Mourão, vice de Jair Bolsonaro, demonstrou sua total submissão ao imperialismo, prometendo invadir a Venezuela caso seja eleito.

Quais são os interesses do Brasil em uma intervenção na Venezuela? Nenhum! A intervenção militar serviria somente para usar os militares brasileiros como bucha de canhão para favorecer o lucro de empresas capitalistas que detém o monopólio do mercado mundial e querem sugar as riquezas (o petróleo!) do povo venezuelano.

Isso acaba totalmente com a farsa dos supostos nacionalismo e patriotismo de Jair Bolsonaro e dos militares brasileiros, que no caso de Mourão já demonstrou seu desprezo total pela cultura nacional e latino-americana, taxando-nos de povo atrasado por conta da mestiçagem entre índios, africanos e europeus portugueses e espanhóis.

A ameaça de Mourão acontece ao mesmo tempo que o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, quase foi assassinado por meio de um atentado explosivo, e também em que os militares golpistas da Venezuela se reuniram secretamente com representantes dos Estados-Unidos para armar o golpe contra o presidente nacionalista.

Desta forma, o Brasil dos golpistas, de Temer, passando por Alckmin, Ciro, Marina até Bolsonaro e os militares não passa de uma sub-sede militar dos norte-americanos, servindo a seus donos quando for necessário. Esse é o patriotismo da extrema-direita.