Candidaturas presidenciáveis com 1% são aprovadas enquanto o líder das pesquisas é preso político sem provas

Presidential candidate Cabo Daciolo of Patriots holds the Bible during a television debate at the Rede TV studio in Osasco

Da redação – O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou nesta quinta-feira (23) as candidaturas de Guilherme Boulos, Marina Silva, João Amoêdo e Cabo Daciolo para a Presidência da República, oficializando a campanha desses candidatos com 1% de intenções de votos – exceto Marina Silva -, e que, juntos, não somam 5%. Segundo os sete ministros da Corte, não há motivos para esses candidatos serem inelegíveis, porém, o ex-presidente Lula, que hoje venceria no primeiro turno, deve ficar preso sem provas.

O Brasil parece caminhar para as eleições mais fraudulentas e antidemocráticas da história. Prova disso é que o líder absoluto em todas as pesquisas para o Palácio do Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segue preso politicamente a quase 140 dias em Curitiba, com grande clamor da burguesia para que a justiça golpista o torne inelegível, enquadrado na lei da Ficha Limpa. Por outro lado, figuras estranhas como o candidato do partido Avante, Cabo Daciolo, chamado de “louco de amarrar” por Roberto Requião (MDB), têm suas candidaturas aprovadas e estarão nas urnas em 7 de outubro.

Evidentemente não seria democrático impugnar a candidatura do Cabo Daciolo, assim como não é democrático impugnar a candidatura de absolutamente ninguém. O voto deve ser o mais livre possível, cabendo apenas ao povo o poder de decisão sobre sua escolha. Não são juízes que devem dizer em quem o povo pode votar.

Todo poder ao povo! Eleição sem Lula é golpe! Lula Presidente! Ou Lula ou nada!