Candidatura de Manuela D’Ávila é oficial mas não é de verdade

manu_pres

“Sou candidata porque Brasil é um sonho que pode ser realizado”. Com essa manchete, o Portal Vermelho, órgão oficioso do PCdoB, resumiu em título o discurso da candidata do partido à presidencia da República, Manuela D’Ávila, ocorrido em convenção realizada na quarta-feira, primeiro de agosto.

A frase não poderia expressar melhor a profunda ilusão do PCdoB nas instituições “democráticas” do Estado brasileiro, justamente em um momento em que se acentua o caráter ditatorial do golpe de Estado em curso no país.

As eleições em geral já são uma farsa, justamente por serem controladas pelo aparelho estatal burguês. As de 2018, no entanto, se avizinham como uma etapa de aprofundamento do golpe, o que significa, que a farsa crescerá exponencialmente, salvo uma verdadeira rebelião popular do povo brasileiro, a começar por defender e garantir a liberdade de Luiz Inácio Lula da Silva, o único candidato que pode desmontar a farsa e até ser eleito, não porque seja “bom de voto”, mas porque a sua candidatura só será real com o povo na rua.

Em um discurso recheado de invocações ao desenvolvimento sustentável do país a partir de um programa de reformas, a candidata se esquece de dizer como seria a implantação de tal programa. Parodiando o outro candidato abutre, Guilherme Boulos, os pretensos dezenas de milhões de votos que obterá darão respaldo para convencer os banqueiros a taxar os lucros, a desfazer as “reformas” macabras de Temer, enfim, convencer a tola burguesia, que a democracia vale muito mais que a diatadura golpista.

Finalmente, a jovem do slogan “lute como uma garota” muito de passagem se referiu ao verdadeiro impasse que corrói as entranhas do PCdoB ao citar a falta de uma candidatura unificada da esquerda: o absoluto desmoronamento da candidatura Ciro Gomes e o consequente esvaziamento da ala cirista do partido.

Se fosse um partido sério, comprometido com a luta contra o golpe no país, a única alternativa do PCdoB seria serrar fileiras com a campanha contra o golpe e pela liberdade de Lula, mas as ilusões do partido no regime democrático burguês só aponta o caminho de virar a página do golpe na doce ilusão da manutenção dos empregos parlamentares.

Por esse caminho, o PCdoB mostra que assim como a sua política, a candidatura Manuela é oficial mais não é de verdade.