Candidato do PCO no Rio de Janeiro defende fim da PM em entrevista ao G1

6982768_x720

Da Redação – O candidato do Partido da Causa Operária (PCO) ao governo do estado do Rio de Janeiro, Luiz Eugênio, metalúrgico da CSN aposentado, defendeu, em entrevista para a rádio CBN e para o portal G1 de notícias, nessa terça-feira (18) o fim da Polícia Militar e a organização de milícias populares para desempenhar a função de segurança nos bairros e comunidades. O candidato defendeu também o fim do vestibular e o livre ingresso nas universidades públicas para a juventude.

Na questão da prevenção, a gente é pela dissolução da PM, disse Luiz. A gente é pela formação de uma milícia armada da população. O estado se arma cada vez mais pelo estado de repressão. Traz policia, traz exército, traz diversas formas de reprimir mais.

Se essas corporações forem indicadas pelos próprios moradores, sabatinadas pelos moradores, eles vão ter muito mais inserção e eficiência do que simplesmente chegar e combater essa violência com mais armamento.

Sobre o vestibular, Luiz Eugênio afirmou que Não é normal a pessoa fazer o primeiro, o segundo ano, por que ele tem que ser sabatinado para ir para a faculdade. Eu acho que todos nós ganharíamos com isso, com o livre acesso para a educação.

Por fim, o candidato do PCO denunciou a golpista Operação lava Jato, como sendo uma nova versão do Serviço Nacional de Informação, o SNI da época da ditadura. O objetivo da Lava-jato é destruir o pré-sal, a nossa riqueza, a Petrobras e toda nossa economia.