Candidato do PCO ao governo de Santa Catarina denuncia o golpe e pede liberdade para Lula

Ângelo Castro - 29

Da redação – Nesta semana, candidato ao Governo de Santa Catarina pelo Partido da Causa Operária (PCO), Ângelo Castro, participou de uma entrevista durante o programa Jornal do Almoço. Ângelo expôs o programa do PCO para as eleições e fez questão de ressaltar a importância de levar adiante a luta pela libertação de Lula e a denuncia da fraude que é a retirada de Lula das eleições.

Ângelo trabalha como servidor público federal e atua na luta pelos interesses dos trabalhadores na cidade de Florianópolis, onde mora atualmente. O candidato do PCO ao Governo de Santa Catarina participa ativamente da luta contra o Golpe de Estado, construindo comitês de agitação e propaganda, e levando para as ruas de Santa Catarina a luta pela liberdade de Lula e de todos os presos políticos.

Durante toda a sua entrevista, que foi realizada pela imprensa burguesa e golpista, os entrevistadores fizeram questão de tentar dificultar a exposição das ideias do candidato, interrompendo sua fala inúmeras vezes e buscando expor possíveis contradições na sua fala. Em contrapartida Ângelo Castro demonstrou firmeza e coerência política ao defender intransigentemente os interesses dos trabalhadores e a necessidade da classe operária de se organizar e de lutar contra o golpe de estado que avança no país e retira direitos fundamentais da população, tais como a previdência, leis trabalhistas, etc.

Quando perguntado pelos jornalistas a respeito da possibilidade de sua vitória eleitoral, Ângelo foi enfático ao afirmar que sua candidatura é uma importante ferramenta para “mostrar aos trabalhadores que nós podemos ter voz na política, que nós podemos lutar por um governo operário, comunista e revolucionário”. Diferentemente do que fazem os partidos da burguesia, que no período eleitoral mentem para o povo com discursos formulados em gabinetes de marqueteiros, o Partido da Causa Operária tem como preocupação principal levar adiante a luta pela organização autônoma da classe operária, para que os próprios trabalhadores, através de seus próprios métodos, lutem pelos seus interesses.

As eleições no regime burguês, ainda mais na etapa atual do Golpe de Estado que destituiu ilegalmente Dilma e prendeu Lula sem provas, devem ser denunciadas como uma farsa, cuja única intenção é legitimar a dominação dos patrões sobre os trabalhadores e utilizar a máquina do Estado capitalista para oprimir ainda mais os operários.