Candidata abutre: Manuela D’Ávilla oficializa candidatura e deixa claro que não luta contra o golpe

DIA DO TRABALHO / FORCA SINDICAL

Da redação – O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) confirmou hoje, durante convenção do partido na Câmara dos Deputados, no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), que consagrará a indicação de Manuela D’Ávila, candidata à Presidência da República.

“Manu da Força”, como ficou conhecida após visitar dois atos da central sindical dos patrões golpistas, a Força Sindical, decidiu mesmo lançar sua candidatura para roubar votos do ex-presidente Lula, ignorando o avanço do golpe na prisão política, sem provas, por uma operação internacional que visa destruir o país.

“A nossa candidatura, desde que foi colocada em 18 de novembro, sempre defendeu a unidade do nosso campo político. Fizemos um conjunto de apelos públicos e ainda temos algum tempo. Se surgir alguma novidade nesse sentido, seguimos entusiastas”, afirmou.

Em discurso, a candidata abutre defendeu, cinicamente, a unidade dos candidatos considerados de esquerda.

Sobre Lula,  Manuela fez o que qualquer político burguês é treinado para fazer, discursar. “Lula isso”, “Lula aquilo”, “Lula Livre”…mas Lula está preso, sofrendo grande tortura psicológica, impedido de receber todas as visitas que tem direito, de ter habeas corpus, enquanto outros líderes partidários estão sendo processados, perseguidos, bem como, a ditadura vem aumentando exponencialmente no campo e na cidades. Mas no mundo da fantasia da Manuela D’Ávila, as eleições sem Lula e com ela, podem ser “vitoriosas”.

“Nossa candidatura é a construção da saída da grave crise que nosso país enfrenta. Seremos aqueles que dialogaremos com as mulheres e homens e diremos que é inadmissível abrir mão do nosso país e deixar de votar”, afirmou também. É esperar mais alguns dias para ver se a candidatura é para valer mesmo.