Não à reforma administrativa!
No dia 10 de dezembro a Candelária será o palco de mais um ato contra o governo Bolsonaro e todos os golpistas.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2020-12-08 at 16.40.24
Ato no Rio de Janeiro | Comitê Fora Bolsonaro (Centro - Zona Sul)

No dia 10 de dezembro a Candelária será o palco de mais um ato contra o governo Bolsonaro e todos os golpistas. O evento público, organizado pelo Fórum Permanente dos Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Fosperj), terá como eixo central a famigerada reforma administrativa. Diante desta situação, é preciso ter uma política clara, com uma palavra de ordem capaz de mobilizar a população contra os golpistas: Fora Bolsonaro, não à reforma administrativa!

O evento, por sua vez, contará com a presença dos setores mais combativos da esquerda, tendo presença confirmada o PCO, a AJR, os Comitês de Luta (Comitê Fora Bolsonaro – Centro/Zona Sul), o Sindipetro-RJ, Anarcomuna América-RJ, Casa Nem, FIST, trabalhadores do IBGE etc. Em meio à crise econômica e da pandemia, Bolsonaro e seus asseclas buscam aprofundar ainda mais os ataques contra a classe trabalhadora. Para a mesma data, a União Nacional dos Estudantes (UNE) está organizando um dia nacional de lutas “contra as intervenções e em defesa do orçamento da educação”.

Essa iniciativa é de grande importância, tendo em vista a completa submissão das instituições aos interesses do capital. Recentemente, o ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido de mandado de segurança apresentado por um grupo de deputados e senadores que tinham por objetivo paralisar a tramitação da reforma administrativa, pelo menos até que fossem divulgados dados que sustentassem a proposta. Enviada ao Congresso Nacional em documento sigiloso, a reforma administrativa mantém privilégios de poucos, retira direitos de muitos e abre brecha para perseguição de servidores. Caso se concretize, as medidas fragilizarão ainda maus as condições de trabalho dos servidores, principalmente no que diz respeito ao fim da estabilidade. Ademais a reforma impactará nas negociações coletivas e no movimento sindical. Como se pode ver, não há saída institucional para a crise política.

Na vanguarda das manifestações do Rio de Janeiro, a AJR vem participando de inúmeros atos. Recentemente, os militantes da AJR/PCO participaram de ato contra o ensino remoto na UERJ, contra a remoção de moradores de ocupações etc. Diante dos inúmeros ataques contra a população, é preciso organizar um grande movimento de massas para a derrubada do governo golpista. Nesse sentido, é importante que todos compareçam ao ato e levem suas bandeiras, suas reivindicações. O evento está marcado para começar às 16 horas na Candelária, Centro. Com o agravamento da crise econômica e da pandemia, o panorama político nacional aponta para uma situação de extrema gravidade, sobretudo com o fim do miserável auxílio emergencial, exigindo das organizações de esquerda que cumpram o seu papel na mobilização e organização das massas. A reforma administrativa é apenas um dos ataques contra a população. Se os golpistas não foram derrubados o quanto antes, não sobrará pedra sobre pedra.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas