Campanha salarial dos bancários: banqueiros golpistas intensificam ataques contra a categoria e propõem zero de reajuste

bancários

Em negociação no último dia 07 de agosto, terça-feira, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), com o Comando Nacional dos Bancários, apresentou ofereceu uma migalha para a categoria em repor apenas a inflação do período nos próximos quatros anos, e de quebra não quis negociar as cláusulas sociais, tais como garantia no emprego, condições de trabalho, assédio moral, etc.

Continua a ofensiva dos banqueiros contra a categoria bancária, desta vez é na campanha salarial deste ano em que a categoria reivindica, além da inflação, aumento real de 5%, piso salarial no valor de R$ 5.058,59, dentre outras.

Os banqueiros golpistas se aproveitando do processo golpista em andamento no país, no qual foram uns dos seus grandes financiadores, e vem aprofundando os ataques aos trabalhadores através de demissões em massa, arrocho salarial, fechamento de centenas de agências em todo o país, assédio para cumprimento de venda de produtos, privatizações, ataques aos planos de saúde dos trabalhadores dos bancos estatais, etc.

A proposta dos banqueiros de reajustar os salários apenas pela a inflação é a demonstração, desses parasitas, de quanto irão endurecer na campanha salarial dos bancários neste ano.

Em resposta à política dos banqueiros a Contraf/Cut (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) indicou para todos os sindicatos filiados a rejeitarem a proposta nas assembleias, que acontecerão em todo o país, e apontar com um dia de paralisação no próximo dia 10 contra os ataques dos banqueiros, e preparar uma greve nacional por tempo indeterminado caso não sejam atendidas as reivindicações dos bancários.