Siga o DCO nas redes sociais

O obscurantismo mira os jovens
Campanha ‘Eu escolhi esperar’ é idelizada por Pastor evangélico
O Obscurantismo moral da direita, coloca em risco a saúde dos jovens. A adolescência é a camada onde mais cresce os casos de HIV no Brasil.
Pastor Nelson Junior, criador do ministério Eu Escolhi Esperar
O obscurantismo mira os jovens
Campanha ‘Eu escolhi esperar’ é idelizada por Pastor evangélico
O Obscurantismo moral da direita, coloca em risco a saúde dos jovens. A adolescência é a camada onde mais cresce os casos de HIV no Brasil.
Pastor Nelon Junior, idealizador do EEE. Foto: divulgação
Pastor Nelson Junior, criador do ministério Eu Escolhi Esperar
Pastor Nelon Junior, idealizador do EEE. Foto: divulgação

Em consonância com o discurso dos ministros da ala Gospel do governo fascista, está sendo idealizada a introdução de livros didáticos que tentam direcionar os jovens brasileiros à iniciação sexual em idade mais tardia.
Os livros didáticos que estão sendo geridos, são idealizados pelo pastor Nelson Júnior. Escritor e palestrante idealizador do movimento EEE ( Eu Escolhi Esperar) em 2011. Com o poder nas mãos do “ecumênico” Bolsonaro, o movimento ganha força e é promovido à elaborador de livros que serão distribuídos pelo governo nas escolas públicas.
Nelson Júnior, assim como os demais do círculo Bolsonarista , é conhecido por sua idéias conservadoras e alinhadas com a extrema direita.
” Eu Escolhi Esperar é uma campanha de preservação sexual, ou seja, acreditamos que o sexo é uma bênção de Deus que só deve ser vivenciado dentro de uma aliança de casamento. A outra área que trabalhamos é com o que chamamos de saúde emocional, cremos que Deus tem um plano para todas as áreas da nossa vida, inclusive para nossa vida amorosa.”
Em 2018 o pastor foi alvo de um artigo intitulado “Uma farsa chamada Eu escolhi esperar” onde o ministério é acusado de usar a teologia do conto de fadas para ganhar dinheiro através da marca EEE.
Dados do Ministério da Saúde mostram que os casos de gravidez na adolescência (até 19 anos) segundo a Organização Mundial de Saúde,seguem em alta, principalmente nas camadas mais pobres da população. O último relatório da ONU , demonstra que o Brasil registra 62 jovens gestantes a cada mil jovens entre 15 e 19 anos, enquanto a taxa média mundial é de 44 a cada mil.
Outra questão também de grande relevância e talvez de maior complexidade e risco , é o alto índice de doenças sexualmente transmissíveis que atingem esta faixa etária. Especialistas na área afirmam que a causa seria o baixo uso de preservativos pela população jovem. Dados da ONU indicam que o Brasil apresentou aumento de 21% no número de novos casos de infecções por HIV de 2010 a 2018, o que vai na contramão mundial, já que, no mesmo período, a queda foi de 16% no planeta. A Adolescência é a camada em que mais crescem os casos de Aids no Brasil.
Resultado que em nada surpreende pois desde o golpe de 2016 , as campanhas de prevenção das DST( doenças sexualmente transmissíveis) foram praticamente banidas dos meios de comunicação, e das escolas em consonância com os valores morais da direita brasileira.
Não se trata em estimular ou adiar a iniciação sexual na população jovem , e sim de utilizar abordagens realistas . É fato que no mundo todo a vida sexual inicia em torno do 16 anos. Ignorar isto é colocar um véu sobre a verdade e abordar o tema sexualidade na adolescência com teorias morais mostra-se como um desconhecimento total do desenvolvimento físico e social do ser humano. É o obscurantismo mirando a educação dos jovens no Brasil.