Campanha contra as “fake news” é mais um golpe contra a liberdade de expressão

censura

Nesta terça feira (31), o desembargador Rogério Medeiros ministrou uma palestra para juízes eleitorais em Minas Gerais cujo tema central era a questão das chamadas “fake news”. O tema das “fake news” vem sendo tratado como de primeira importância pela imprensa burguesa e pelo judiciário golpista, pois vem se mostrando uma ferramenta eficaz para perseguir politicamente os inimigos do golpe de Estado.

Durante a palestra Rogério Medeiros afirmou que o judiciário “tem o dever de bem informar os eleitores e alertá-los para não compartilhar notícias de duvidosa procedência”. Ainda segundo o desembargador “tendemos a conceber o candidato violador da probidade administrativa como aquele praticante de corrupção (o que “rouba”). No entanto, com a crescente e negativa influência das notícias falsas (“fake news”) veiculadas velozmente pelas redes sociais, devemos nos lembrar que também é desonesto o candidato que ‘joga sujo’ para vencer eleições”.

Na verdade a palestra do desembargador faz parte da estratégia da direita golpista para perseguir aqueles que se opõem ao golpe no Brasil. A palestra não é mais do que uma orientação aos golpistas do judiciário sobre como perseguir os inimigos do regime usando a desculpa esfarrapada das “fake news” com o apoio do monopólio da imprensa que se concentra nas mãos da direita e que mente todos os dias para a população através dos telejornais, rádios e revistas. A tentativa da burguesia de calar a esquerda com o pretexto de acabar com as notícias falsas deve ser denunciada e combatida, pois é mais um atropelo da Constituição na medida em que tenta cassar o direito fundamental da liberdade de expressão.

Os golpistas do judiciário pretendem deixar nas mãos da Rede Globo e do conjunto da imprensa burguesa o direito de decidir o que é verdade e o que não é, ou seja, pretendem legalizar a perseguição à imprensa de esquerda e a todos cuja opinião contrarie a dos golpistas. Os golpistas querem dar aos capachos do imperialismo (Globo, Bandeirantes, etc.) o monopólio da opinião e retirar do povo o direito de falar o que pensa.

Os golpistas querem calar o povo e para isso estão desde já treinando os juízes para usar a lei como ferramenta de censura. A questão das fake news é mais uma manobra da burguesia e do imperialismo para aprovar medidas antidemocráticas de perseguição aos direitos mais fundamentais da população e isso deve ser combatido energicamente pela esquerda.

Não podemos permitir mais este ataque, é preciso dizer não à censura, é preciso denunciar o atropelo à constituição e combater a ditadura do judiciário golpista.