Brasília: Prédio da Caixa Econômica Federal.  (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
|

Pedro Guimarães, presidente golpista da Caixa, em matéria da Agência Caixa de Notícias, publicada em 13 de maio, disse que Caixa não será privatizada. Enquanto isso o ministro Paulo Guedes diz à Infomoney, 17 de maio de maio, que “se é pra dar lucro, privatiza logo”. Na semana seguinte, 23 maio, foi publicado resultado do primeiro trimestre da Caixa Seguros de 2019 que apresentou lucro 20% maior que do ano passado. Não há nenhuma contradição aqui.

Algum desavisado poderia pensar que Pedro Guimarães é contra a privatização da Caixa. Há poucas semanas, ele declarou que sentia perseguido por empregados e suas organizações. Isso porque sua gestão vem sendo denunciada pelos ataques contra os trabalhadores, bem como, pelo desmantelamento de várias áreas.

Os ataques golpistas da direção da Caixa preparam a para privatização: a Gestão de Desenvolvimento Pessoal (GDP), conjunto de avaliações periódicas, tem o objetivo de retirar a comissão dos empregados que não atingirem os resultados, os comissionados com mais de 10 anos na função gratificada poderão perder o direito de incorporar ao salário o valor da comissão de gratificação, as funções gratificadas de caixa e tesoureiro já são trabalho intermitente nas agencias, o controle rígido de intervalo e o aumento da jornada de trabalho tem objetivo maior exploração dos empregados, foi aberto mais um Plano de Demissão Voluntária (PDV) que é parte de um plano de redução de 20 mil empregados, além de fechamento de diversas áreas e anúncio de venda dos prédios correspondentes e cortes de recursos para compras.

Os direitos dos bancários da Caixa Econômica Federal vem sendo atacados desde a primeira fase do golpe, mudanças no cálculo dos resultados impactaram na participação dos empregados no lucro da empresa, foram cortados benefícios como vale cultura, foi publicado no final de 2018 perdas no fundo de pensão da Caixa (Funcef) de 7 bilhões e ainda um contingenciado de 20 bilhões. Todos os ataques tem objetivo acabar com direitos e igualar a categoria dos bancos privados, além sucatear os serviços bancários para entregar a Caixa ao mercado. Pedro Guimarães não declara aquilo que faz porque já sentiu a força dos empregados e suas organizações sindicais que protestaram contra a privatização da Lotex (loterias instantâneas)  e conseguiram adiar o leilão pela terceira vez.

O resultado da Caixa Seguros já seria suficiente para demonstrar as mentiras de Paulo Guedes, mas seria uma análise apressada sem verificar os resultados de outras áreas da Caixa e os resultados de outras instituições . A Caixa Seguros, que teve incremento de R$ 59,4 milhões no resultado do primeiro trimestre deste ano em relação ao de 2018 que foi R$ 295,6 milhões, foi anunciada de privatização em março junto as áreas Caixa Cartões, Loterias e Gestão de Recursos. Isso não significa dizer que os golpistas não tentem encobrir o que fazem. Os golpistas já engoliram 7 bilhões do Resultado da Caixa do ano 2018 através de manobra contábil que, além de impactar no bolso do trabalhador uma menor participação nos lucros e resultados da empresa, praticamente igualou ao resultado de 12,5 bilhões do ano de 2017. Obvio que isso é para esconder o aumento no lucro e resultados.

Paulo Guedes não tentou enganar os interlocutores quando diz a Infomoney  “se é pra dar lucro, privatiza logo”. O ministro golpista fez o anúncio da privatização da Caixa para que os grandes banqueiros se preparem para arrematar num leilão o único banco 100% público do país e maior de toda América Latina, um patrimônio superavitário, o banco que mais crescia no Brasil até o golpe. A Tchutchuca já havia anunciado em março que colocaria à venda ações na bolsa de São Paulo e de Nova Iorque.

Diante de tamanho ataque ao patrimônio público e aos direitos dos trabalhadores, bancários da Caixa Econômica Federal, os sindicatos e toda categoria devem ir as ruas junto aos movimentos sociais, organizações populares, trabalhadores dos dos diversos setores, sobretudo a sociedade em geral para pedir a revogação dos cortes na saúde, educação e dos direitos trabalhistas. Dizer não as privatizações e ao fim da Previdência Social! Para isso é preciso pedir Fora Bolsonaro e todos os Golpistas! Liberdade para Lula e todos políticos! Eleições Gerais e Lula candidato!

Relacionadas