Cai proporção de jovens que contribuem para a Previdência

informalidade

Segundo dados da IDados, jovens entre 18 e 24 anos estão contribuindo menos para a Previdência: entre 2012 e 2018, o número de contribuintes nessa faixa etária caiu de 36,5% para 28,5%. A pesquisa ainda aponta que 63,8% da população com ensino superior (completo ou incompleto) contribui para o INSS, enquanto apenas 24% da população com baixa escolaridade o faz.

Isso é resultado dos ataques à população brasileira que estão sendo intensificados desde o governo Temer, que assumiu o poder através de um golpe que derrubou a presidenta Dilma Rousseff. O desemprego e a informalidade se acentuaram depois de medidas como a famigerada reforma trabalhista e a juventude é drasticamente afetada por esses ataques.

Agora, com o governo ilegítimo de Bolsonaro, essas ofensivas tendem a piorar com medidas como a “reforma” da previdência, que irá fazer o trabalhador trabalhar por mais tempo para receber uma menor aposentadoria; e com a destruição do ensino público, que não conseguirá formar um jovem para o mercado de trabalho, fazendo com que esse acabe na informalidade.

Precisamos ir às ruas chamar pelo fora Bolsonaro, pela liberdade de Lula e por eleições gerais já, com Lula candidato. A mobilização popular deve derrotar o golpe para que o povo consiga ter uma educação pública, gratuita e de qualidade, um emprego digno com um bom salário e uma aposentadoria digna que não faça com que o trabalhador morra de fome. Fora Bolsonaro! Liberdade para Lula! Eleições Gerais Já!