Cai mais uma favorita dos donos da Copa e Rússia vence o “não vai ter copa”

russia

Com uma emocionante vitória nos pênaltis, depois do empate por 1 x 1 em 120 minutos de jogo (tempo normal + prorrogação), a Rússia se classificou neste domingo paras as quartas de finais na Copa do Mundo de Futebol.

Os espanhóis apontados como franco favoritos abriram o placar com um gol contra de Ignashevich. Mas os russos alcançaram o empate ainda no primeiro tempo de jogo.

Com a vitória, além da classificação, a Rússia quebrou a invencibilidade de 23 jogos (15 vitórias e 8 empates) do time da Espanha, apontada pela imprensa internacional (e pelos seus súditos no Brasil) entre as favoritas para ganhar a Copa, da mesma forma que a Alemanha, outra já eliminada.

O jogo teve até um “duelo de brasileiros”, uma vez que ambas seleções – assim como várias outras na Copa tinham brasileiros  naturalizados. Estavam em campo pela Espanha, Diego Costa, Rodrigo e Mário Fernandes, pela Rússia.

Mesmo com cerca de 70% de posse bola, a Espanha não conseguiu furar o bloqueio russo, no estádio Luzniki, em Moscou.

Agora, a seleção russa espera pelo confronto entre Croácia e Dinamarca, também neste domingo, às 15 horas (horário de Brasília), em Nizhny Novogorod, para conhecer o adversário nas quartas de final do Mundial.

A vitória russa marca uma importante superação do escrete e dos prórpios organizadores da Copa das enormes pressões sofridas pelo País por parte dos países imperialistas, incluindo a ameaça de boicote ao evento da parte de países como a Inglaterra e a França. [Os EUA outra potência que atacou o País, teve seu time eliminado e ficou de fora da Copa]. A imprensa internacional tentou sem sucesso, inclusive, repetir na Rússia a campanha reacionária realizada no Brasil em 2014, “não vai ter Copa”, que contou com apoio de setores da esquerda pequeno burguesa e foi usada pela direita como parte de suas operações golpistas que levaram à derrubada da presidenta DIlma Rousseff, em 2016.

Como foram os pênaltis

Depois de 120 minutos de jogo, a decisão da vaga ficou para as cobranças de pênaltis:

Iniesta fez o primeiro para os espanhóIs e converteu: 1 a 0.

Smolov também converteu a primeira cobrança dos russos: 1 a 1.

Piqué também marcou: 2 a 1.

Ignashevich fez o gol com paradinha: 2 a 2.

Koke bateu e Akinfeev defendeu: 2 a 2.

Golovin acertou a cobrança e a Rússia passou à frente: 3 a 2.

O zagueiro Sergio Ramos partiu para a quarta cobrança da Espanha e fez o gol: 3 a 3.

O meia Cheryshev foi o responsável pela quarta cobrança da Rússia e converteu: 4 a 3.

Iago Aspas foi para a quinta cobrança com a missão de converter e perdeu.

O pé do goleiro Rússia desviou a bola e classificou a Rússia, em mais um momento de muita vibração na Copa.

Ficha técnica

1/7 – Estádio Luzniki (Holanda)
ESPANHA 1 x 1 RÚSSIA (3 x 4 nos pênaltis)
Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda);

Público: 78.011;

Gols: Ignashevich (contra), aos 12 minutos do 1º tempo, Dzyuba, aos 41 do 1º tempo;

Cartões amarelos:Piqué (Espanha), Kutepov, Zobnin (Rússia).
ESPANHA: De Gea; Nacho (Carvajal, aos 25 do 2º), Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Sergio Busquets, Koke, David Silva (Iniesta, aos 22 do 2º), Isco e Asensio (Rodrigo, aos 14 da prorrogação); Diego Costa (Aspas, aos 35 do 2º). Técnico:Fernando Hierro.
RÚSSIA: Akinfeev; Mário Fernandes, Kutepov, Sergei Ignashevich, Kudriashov e Zhirkov (Granat, no intervalo); Zobnin, Samedov (Cheryshev, aos 16 do 2º)e Kuziaev (Erokhin, 7 minutos da prorrogação); Dzyuba (Smolov, aos 20 do 2º) e Golovin. Técnico: Stanislav Cherchesov.