“Lockdown”
Uso obrigatório de máscaras escancara a política ditatorial da burguesia
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Usuarios e motoristas de transporte público,  utilizam máscara de proteção, durante pandemia da Covid-19 no Rio
Usuário de ônibus usando máscara. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil |

Em todo o Brasil, os governos estaduais estão se valendo do pretexto da pandemia de coronavírus para aumentar ainda mais o número de leis antidemocráticas. O chamado “lockdown“, que seria o isolamento social forçado para evitar o contágio, está se revelando um verdadeiro estado de sítio, impedindo as pessoas de irem e virem e tomando uma série de medidas arbitrárias para encarcerar ainda mais gente.

Dentre as medidas arbitrárias, está a de obrigar a população a utilizar máscaras. A medida, que aparenta expressar alguma preocupação com a saúde da população, na verdade expressa o completo cinismo da burguesia golpista. No início da pandemia, quando as máscaras já eram recomendadas por vários especialistas, a imprensa burguesa criticava seu uso, pois pretendia, com isso, forçar o povo a fazer o isolamento forçado. No entanto, agora que os capitalistas estão forçando os governantes a retomar a economia, as máscaras estão sendo obrigatórias.

A parte mais cínica dessa política, no entanto, é a de que a burguesia está exigindo o uso de máscaras, mas não está distribuindo nenhuma à população. No fim das contas, o Estado está mostrando que não serve para atender minimamente as necessidades do povo, mas apenas para puni-lo. Outro aspecto que chama a atenção é que faltam máscaras no mercado e que elas são vendidas por preços abusivos. Assim, muitas vez a população mais pobre terá de recorrer a soluções caseiras para se protegerem do coronavírus, como máscaras feitas de pano ou mesmo flanelas amarradas no rosto.

O problema da solução caseira, por sua vez, é que caberá à própria polícia definir o que é considerado máscara e o que não é. Ou seja, ao atuar uma pessoa no meio da rua ou mesmo no interior de um veículo, o policial poderá multá-la ou dar-lhe voz de prisão por não usar uma máscara que se enquadre em seus critérios. A polícia, que já tem uma espécie de radar para detectar e assassinar o povo negro, ganhará agora mais condições para selecionar e abater suas vítimas.

Somado a isso, há também o fato de que milhões de brasileiros não possuem qualquer tipo de documento de identificação. Todos ele são, inevitavelmente, parte do povo pobre, que é tão marginalizado que sequer existe aos olhos do Estado.

A política criminosa do “lockdown” visa apenas a reprimir ainda mais o povo. Ao mesmo tempo em que a direita impõe essas medidas, milhões de trabalhadores estão sendo obrigados a trabalhar. Fica claro que o único objetivo é controlar ainda mais o povo. Por isso, é preciso que os trabalhadores se mobilizem para derrubar a ditadura dos golpistas e garantir uma política que seja verdadeiramente eficiente para combater o coronavírus e a crise econômica.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas