Crise econômica
Os economistas da burguesia já apontam para um quadro de recessão no curto prazo, com possibilidade de depressão econômica global.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1
Depressão econômica após a quebra da bolsa de Nova Iorque em 1929. Foto: Reprodução. |

Os economistas da burguesia já avaliam que a crise do coronavírus vai provocar uma rápida deterioração da economia em nível global, com risco de depressão econômica. No Brasil, já é consenso de que se enfrentará uma recessão, com o indicativo de que pode-se mergulhar em uma depressão econômica, o que significa um aprofundamento do quadro caracterizado por um longo período de baixo crescimento e efeitos negativos na produção, queda na renda das famílias, nos níveis de consumo e aumento do desemprego.

Para se entrar em uma recessão técnica, basta dois trimestres de seguido desempenho negativo do Produto Interno Bruto (PIB). O Ministério da Economia, comandado pelo Chicago Boy Paulo Guedes, já reduziu para praticamente zero a projeção do crescimento da economia brasileira.

A crise é tão grande e seus efeitos tão profundos que até mesmo os economistas neoliberais, defensores da austeridade fiscal e da rígida contenção dos gastos públicos, afirmam a necessidade de ampliar os gastos estatais para proteger as pequenas e médias empresas e os mais vulneráveis, isto é, a ampla camada mais pobre da população. O que se verifica é um impacto da queda da atividade econômica nas pequenas e médias empresas, que caminham para as demissões massivas e a falência, uma vez que não têm margem para lidar com a crise. Os trabalhadores em geral e, particularmente os do setor informal, estão sendo atirados nas ruas e desamparados pelo governo.

O governo Jair Bolsonaro e o bloco político golpista que controlam o Estado vão despejar bilhões de reais do orçamento público para salvar as grandes empresas e os bancos. O povo e os pequeno comércio vão permanecer em uma situação de crônica insegurança, ameaçados de serem lançados na miséria e na falência. Esse é o caráter de classe do governo Bolsonaro: um governo a serviço dos grandes empresários, dos bancos e do capital financeiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas