Burguesia quer que Bolsonaro acabe com ministério do Trabalho e crie ministério dos patrões

sede-do-ministerio-do-trabalho-1495722573957_1920x1169

O governo golpista de Jair Bolsonaro, que saiu de uma fraude eleitoral, mal começou e já mostra que será um governo totalmente contra os trabalhadores, em defesa da sua exploração pelos patrões.

Vários capitalistas da burguesia nacional se reuniram essa semana, dia 5 de novembro com o nomeado ministro golpista da Casa Civil do governo direitista de Jair Bolsonaro, Onyx Lorenzoni (DEM/RS) para reivindicar o fim do Ministério do Trabalho.

A proposta dos patrões é que o atual Ministério Trabalho se dilua com o Ministério da Indústria e Comércio, formando uma espécie de Ministério da Produção, ou seja, para organizar a exploração da mão-de-obra no Brasil de forma que os trabalhadores não tenham como reagir.

Segundo os capitalistas envolvidos na reivindicação, essa proposta está sendo copiada do governo golpista da Argentina, de Maurício Macri, que está produzindo uma das maiores crises econômicas da história do país vizinho, com o empobrecimento generalizado dos trabalhadores argentinos.

O governo golpista e fraudador de eleições de Jair Bolsonaro anunciou que irá aceitar esse pedido “singelo” da burguesia nacional, e realizará a destruição do Ministério do Trabalho, pois como todos que lutam contra o golpe sabem, o golpe de estado no Brasil veio para entregar o patrimônio nacional e acabar com os direitos trabalhistas da classe operária brasileira.

O governo do direitista Jair Bolsonaro nada mais é que a continuidade do golpe de estado que derrubou o governo de Dilma Rousseff do PT, nesse sentido o ataque aos direitos dos trabalhadores está apenas começando.

É por isso que a luta contra o golpe e a campanha pelo “fora Bolsonaro” têm que ganhar as ruas, para que a classe operária impeça na força que os golpistas escravizem a população brasileira.