Calamidade pública
Prefeituras em São Paulo voltam a tomar medidas do pico da pandemia para conter a crise.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
pessoa-usando-mascara-de-protecao-devido-o-coronavirus-em-sao-paulo-sp-1584150982936_v2_1920x1280
Burguesia aplica política de desespero após a reabertura. | Guilherme Gandolfi/Futura Press/Estadão Conteúdo

Com o aumento do número de casos em todo país, a burguesia de muitas regiões passou a adotar uma política semelhante ao pico da pandemia, uma mistura de desespero com uma política totalmente inócua para combater a transmissão

Dessa maneira, cidades no interior de São Paulo passaram a adotar decretos de calamidade pública, como Ilhabela. Já Santos e Guarujá, os acessos das praias voltaram a conter barreiras. Além disso, toques de recolher e outras políticas puramente repressivas voltaram a ser aplicadas.

O estado de São Paulo tem no total 43.802 óbitos e mais de 1 milhão de casos confirmados. O aumento proporcional é maior no interior e litoral.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas