Calamidade pública
Prefeituras em São Paulo voltam a tomar medidas do pico da pandemia para conter a crise.
pessoa-usando-mascara-de-protecao-devido-o-coronavirus-em-sao-paulo-sp-1584150982936_v2_1920x1280
Burguesia aplica política de desespero após a reabertura. | Guilherme Gandolfi/Futura Press/Estadão Conteúdo
pessoa-usando-mascara-de-protecao-devido-o-coronavirus-em-sao-paulo-sp-1584150982936_v2_1920x1280
Burguesia aplica política de desespero após a reabertura. | Guilherme Gandolfi/Futura Press/Estadão Conteúdo

Com o aumento do número de casos em todo país, a burguesia de muitas regiões passou a adotar uma política semelhante ao pico da pandemia, uma mistura de desespero com uma política totalmente inócua para combater a transmissão

Dessa maneira, cidades no interior de São Paulo passaram a adotar decretos de calamidade pública, como Ilhabela. Já Santos e Guarujá, os acessos das praias voltaram a conter barreiras. Além disso, toques de recolher e outras políticas puramente repressivas voltaram a ser aplicadas.

O estado de São Paulo tem no total 43.802 óbitos e mais de 1 milhão de casos confirmados. O aumento proporcional é maior no interior e litoral.

Relacionadas
Send this to a friend