Brasileirão 2018 – Palmeiras com a mão na taça?

Palmeiras

Faltando tão somente cinco rodadas para o término do campeonato brasileiro de clubes, o Palmeiras desponta como o mais provável campeão da temporada. O tradicional time da capital paulista ostenta uma das mais regulares campanhas do certame, particularmente depois da chegada do técnico Felipe Scolari, que parece ter dado uma nova cara e uma nova energia para o “Verdão”. Foi sob o comando de “Felipão” que o Palmeiras cresceu no campeonato, mantendo uma ótima performance tanto nas partidas realizadas em casa, como fora.

Os números falam por si só. Completadas trinta e três rodadas o time ostenta dezenove vitórias, dez empates e somente quatro derrotas. Trata-se de uma campanha com um elevado índice de regularidade. Os investimentos realizados pelo time resultaram em um elenco forte, competitivo, com peças de reposição em praticamente todas as posições. Para competições de longa duração, como o campeonato brasileiro, isso faz toda a diferença.

Depois da eliminação na Libertadores, o time pode voltar suas atenções exclusivamente para o “Brasileirão” e tudo indica, pelo andar da carruagem, que será muito difícil que a taça de campeão tenha outro destino que não seja a sala de troféus do “Verdão”. Na partida deste domingo, contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte, o time voltou a mostrar, mais uma vez, porque é o mais forte candidato ao título. Mesmo jogando nos domínios do adversário, contra uma equipe que dificilmente é batida em casa, o time mostrou personalidade e mesmo tendo saído atrás no placar, não se intimidou e foi para cima, encontrando o empate numa cobrança de pênalti, convertida por Bruno Henrique. O Palmeiras está invicto desde a décima quinta rodada, quando foi derrotado pela última vez. De lá para cá foram treze vitórias e cinco empates.

Libertadores da América – Boca Juniors e River Plate empatam no primeiro duelo

Os dois mais tradicionais times de futebol do país vizinho (Argentina) iniciaram no domingo o duelo para ver quem leva para casa a cobiçada taça do mais importante torneio de clubes do continente. Boca Juniors e River Plate confrontaram-se em La Bombonera, casa do Boca, na primeira partida das duas que estão previstas para a decisão do título. O estádio estava literalmente lotado, tendo a Conmebol – por razões de segurança – adotado o esquema de torcida única. O mesmo esquema será repetido na segunda partida, quando somente os torcedores do River Plate terão acesso às dependências do Monumental de Nuñez, casa do River.  A partida foi bastante movimentada, com as duas equipes jogando um futebol franco e ofensivo. Os donos da casa abriram o placar fazendo 1 x 0, mas quando ainda comemoram o River empatou, numa boa infiltração do centroavante artilheiro Lucas Pratto, que já atuou no futebol brasileiro. Mas o Boca fez valer o mando de campo e sempre empurrado por sua torcida foi encontrar o desempate ainda no primeiro tempo, no finalzinho, através do oportunista e sempre bem colocado Benedetto, que depois de um levantamento de bola na área, desviou de cabeça contra o gol de Armani. Explosão em La Bombonera, com o time da casa fazendo 2 x 1.

Na segunda etapa, nos vinte primeiros minutos, as duas equipes procuraram manter o mesmo ritmo, com um futebol veloz e ofensivo dos dois lados. O Boca desacelerou e o River Plate se aproveitou da situação para ir para cima, não se intimidando com o placar adverso. Aos dezesseis minutos, numa cobrança de falta com a bola sendo alçada à área, o zagueiro Carlos Izquierdoz – acossado por Lucas Pratto – cabeceou para as próprias redes, decretando novamente o empate da partida. Depois do gol de empate as duas equipes procuraram se conter, sem arriscar muito, já pensando na partida de volta. De acordo com o estabelecido pela Conmebol, não há vantagem de gols fora de casa para a próxima partida. Portanto, um novo empate por qualquer placar levará a decisão para os pênaltis. A segunda e decisiva partida está marcada para o próximo dia 24 de novembro, às 18h, no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, com torcida única do time da casa.