Esporte
Campeonatos Europeus x Campeonato brasileiro, a disputa entre o poder econômico do imperialismo europeu e a habilidade do futebol arte brasileiro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Santástico (1)
Desde o Santos de Pelé e companhia, o futebol brasileiro se impôs como o melhor do mundo. | muzees.com.br

Realizamos um levantamento dos resultados dos últimos campeonatos do continente europeu de futebol, na temporada 2019-2020 com o intuito de apresentar elementos que demonstrem, apesar da enorme emigração de “pé de obra” brasileiro para os países europeus, que no continente imperialista do futebol, o que prevalece é o poder econômico dos grandes clubes, ou daqueles que mesmo sem tradição futebolística no país, caso do PSG da França, mas que são baseados num milionário investimento capitalista e contratam os melhores atletas do mundo, em especial, os jogadores brasileiros. E também demonstrar que no país do futebol o equilíbrio entre os grandes clubes do país é historicamente maior do que o verificado no europeu que praticamente não existe.

Em tal pesquisa, contendo as classificações finais dos campeonatos de Portugal, Espanha, Inglaterra, Alemanha e França é notória a constatação de que dos cinco países verificados, em quatro destes países, exceção feita a Itália, onde o campeonato de tal temporada se mostrou mais equilibrado, nos demais a superioridade técnica do 1° e 2° colocado em relação a todos os demais clubes é gritante, essa superioridade se expressa no poder destes clubes contratarem os melhores jogadores do mundo.

Inclusive, de acordo com dados da CBF que consideram apenas os jogadores brasileiros, com cidadania apenas brasileira em 2019, os dez países com mais jogadores brasileiros eram:

1º – Portugal com 684 atletas; 2º – Alemanha – 249; 3º – Itália – 152; 4º – Japão – 111; 5º – Estados Unidos – 107; 6º – Suíça – 103; 7º – Espanha – 85; 8º – Malta – 77; 9º – Tailândia – 65; 10º – Áustria – 63. Se forem contabilizados atletas nascidos no Brasil, mas que transferiram sua nacionalidade esse número aumenta.

A partir desta introdução vamos às classificações e aos números dos campeonatos europeus da temporada passada, ressalte-se que para efeito de comparação pegamos apenas os seis melhores classificados de cada país europeu. Faz-se necessário lembrar que estes países sofreram, assim como o campeonato brasileiro a influência da pandemia de Covid 19, com perda de jogadores.

Campeonatos europeus da temporada 2019-2020 (Encerrados)

Observação: J- Jogos; V – vitórias; E – empates; D – derrotas; GM – gols marcados; GS – Gols sofridos; P – pontos

Equipe                  J      V     E     D    GM   GS    P

1° FC Porto         34    26     4     4    74 – 22    82

2° Benfica           34    24     5     5    71 – 26    77

3° Sp. Braga       34    18     6    10    61 – 40    60

4° Sporting         34    18     6    10    49 – 34    60

5° Rio Ave          34    15    10     9    48 – 36    55

6° Famalicão      34    14    12     8    53 – 51    54

 

Equipe                   J       V      E     D    GM  GS    P

1° Real Madrid    38    26     9     3    70 – 25    87

2° Barcelona        38    25     7     6    86 – 38    82

3° At. Madrid      38    18    16     4    51 – 27    70

4° Sevilla               38    19    13     6    54 – 34    70

5° Villarreal          38    18     6    14    63 – 49    60

6° Real Sociedad 38    16     8    14    56 – 48    56

 

Equipe                            J     V     E     D    GM   GS   P

1° Liverpool                 38    32     3     3    85 – 33   99

2° Manchester City     38    26     3     9   102 – 35   81

3°Manchester United38    18    12     8    66 – 36   66

4° Chelsea                     38    20     6    12    69 – 54   66

5° Leicester City            38    18     8    12    67 – 41   62

6° Tottenham                38    16    11    11    61 – 47   59

 

Equipe                                J     V     E     D    GM   GS   P

1° Bayern München       34   26     4     4   100-  32   82

2° Borussia Dortmund   34   21     6     7    84 – 41   69

3° RB Leipzig                    34   18    12     4    81 – 37   66

4° B. Mönchegladbach  34   20     5     9    66 – 40   65

5° Bayer Leverkusen      34   19     6     9    61 – 44   63

6° Hoffenheim          34   15     7    12    53 – 53   52

 

Equipe                            J     V     E     D    GM   GS    P

1° Paris St.-Germain  27    22     2     3    75 – 24  68

2° Marseille                  28    16     8     4    41 – 29  56

3° Rennes                     28    15     5     8    38 – 24  50

4° Lille                           28    15     4     9    35 – 27  49

5° Nice                          28    11     8     9    41 – 38  41

6° Stade de Reims      28    10    11     7    26 – 21  41

 

Equipe                  J     V     E     D    GM   GS     P

1° Juventus        38    26     5     7    76 – 43    83

2° Inter               38    24    10     4    81 – 36    82

3° Atalanta        38    23     9     6    98 – 48    78

4° Lazio              38    24     6     8    79 – 42    78

5° Roma             38    21     7    10    77 – 51    70

6° AC Milan        38    19     9    10    63 – 46    66

Os dados numéricos da classificação da maioria dos campeonatos europeus de futebol, com a única exceção do campeonato italiano, não deixam dúvidas de que apenas as potências econômicas futebolísticas destes países domina o campeonato, mostrando um enorme fosso técnico entre esses clubes e os demais clubes destes países.

Vejamos caso a caso, em Portugal; sendo este, inclusive entre os países europeus, o local onde o capitalismo mais se encontra em crise, não sendo uma das potências econômicas futebolísticas como os demais países europeus; mesmo assim a distância entre o FC Porto campeão com 82 pontos e o 2° Benfica com 77 pontos é de mais de 17 pontos para o 3° Sporting Braga com 60 pontos.

Na Espanha o fenômeno é o mesmo, com a diferença de que aqui, se impõe o poderio econômico monstruoso de Real e Barcelona. Na La Liga 2019/2020 o 1° Real Madrid teve 87 pontos o 2° colocado, o Barcelona 82 pontos, 17 pontos de vantagem do 2° para o 3° que é o primo pobre de lá, o At. Madrid com 70 pontos.

O campeonato europeu mais rico do continente, se repete o panorama com o Liverpool, campeão com 99 pontos, seguido pelo 2°, o Manchester City  com 81, em uma diferença de 15 pontos para o 3° Manchester United 66.

Na Alemanha na competição da temporada passada a diferença brutal já se deu entre o 1° Bayern München com 82 e o 2° Borussia Dortmund  com 69.

No Francês o predomínio foi total do Paris Saint Germain, clube de Neymar, a lógica é a mesma. O poderoso time do Paris St.-Germain, campeão com uma constelação de craques internacionais com 68  pontos, 12 a frente do segundo, o Marseille que terminou a competição com 56  e 18 a frente do 3°, o Rennes  com 50.

Apenas no campeonato italiano, aliás o campeonato mais popular entre os europeus, no que diz respeito a grande quantidade de grandes clubes que se revezam nos títulos em comparação com os demais, o equilíbrio foi maior. Onde a diferença entre os 5 primeiros colocados foi de 13 pontos. Tendo a campeã Juventus com 83, a 2ª colocada Inter com 82, 3° Atalanta 78, 4° La

Visto a situação do campeonato europeu, vamos a classificação do campeonato brasileiro de futebol de 2020(até o 8° colocado). Destaque-se que o campeonato deste ano, ocorre de maneira criminosa em meio a pandemia de coronavírus e centenas de jogadores foram obrigados a se ausentarem por semanas para se recuperarem.

 

 

Time                   P             J              V             E             D             GP          GC          SG

1°            Atlético-MG     38           20           12           2             6             37           24           13

2°            Internacional    36           21           10           6             5             32           20           12

3°            São Paulo           36           18           10           6             2             29           17           12

4°            Flamengo          36           21           10           6             5             34           30           4

5°            Palmeiras           34           20           9             7             4             28           20           8

6°            Santos                34            21           9             7             5             30           24           6

7°            Grêmio               33           20           8             9             3             26           19           7

8°            Fluminense       32           21           9             5             7             29           24           5

Em que pese o Brasil, por força do capital internacional, há décadas, não ter em suas terras, parte dos maiores expoentes técnicos do nosso futebol, os nossos craques, contratados a peso de ouro pelos grandes clubes europeus, ainda assim, aqui no país continua a ser o celeiro de grandes craques. E o nosso campeonato de futebol exprime isso, onde ao contrário do que quer fazer crer grande parte da imprensa capitalista, o que faz a arte de nosso futebol, não são os técnicos estrangeiros, mas sim a qualidade impar dos jogadores brasileiros. Um pequeno exemplo, foi a final do último mundial, apesar da derrota por 1×0 o Flamengo jogou de igual para igual com o Liverpool da Inglaterra.

Em 20 rodadas de nosso campeonato o equilíbrio é enorme, dos 20 clubes em confronto, 8 deles apresentam condições (ao menos numéricas)de brigar pelo título, a diferença entre o 1° colocado e o 8° é de apenas 6 pontos. Verificando-se o histórico dos últimos 10 anos, com exceção de 2018 e 2019, não exatamente este equilíbrio de 2020, mas em todos os campeonatos, até as últimas rodadas de 4 a 6 times brigavam pelo título, situação que na Europa, há décadas não ocorre, resultado da investida capitalista que destrói cada vez mais o futebol do além mar.

Situação que o imperialismo esportivo quer também impor no Brasil, contra isso faz-se necessário a mobilização dos interessados na defesa do futebol brasileiro, contra a destruição que avança ano a ano, com a expulsão das camadas populares dos estádios, com a repressão as torcidas organizadas, com os métodos europeus e capitalistas de fabricar resultados como o VAR, entre outros, para que possamos manter o melhor futebol do mundo contra os capitalistas internacionais.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas