Efeitos da crise
Desde a primeira semana de maio e a primeira semana de junho, 1,4 milhões de trabalhadores entraram para a fila do desemprego, chegando a um total de 11,2 milhões.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Depositphotos_48648391_original_33612486021ed3b44cc735d5b1a721ce (1)
1,4 de novos desempregados em apenas um mês, segundo IBGE. | Foto: Reprodução

Foram divulgados nesta sexta-feira (26) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) novos dados sobre o emprego e desemprego no Brasil. Desde a primeira semana de maio e a primeira semana de junho, 1,4 milhões de trabalhadores entraram para a fila do desemprego, chegando a um total de 11,2 milhões. No levantamento feito entre 31 de maio de 06 de junho, em apenas uma semana o Brasil registrou cerca de 300 mil novos registros de desempregados no país.

O levantamento dos dados foi realizado por meio da Pnad Covid19, versão da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua para identificar os efeitos da pandemia no Brasil. Apesar de avaliar o mercado de trabalho a Pnad Covid19 não substitui a Pnad Contínua, que utiliza outras metodologias. Na última divulgação, feita em abril, o Brasil já tinha um total de 12,8 milhões de desempregados.

Mais trabalhadores entram para a triste estatística de desempregados enquanto o governo não apresentou nenhuma política para garantir renda à aqueles que estão desamparados, que precisam recorrer a informalidade e arriscam suas vidas em meio a pandemia para conseguirem sobreviver, um governo completamente genocida que não atende as necessidades dos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas