E o governo não faz nada
Estudo feito por instituto norte-americano indica que número de mortes irá seguir crescendo até o começo de julho.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
enterro manaus coronavírus
Enterro de vítima de covid-19 realizado em Manaus. Imagem: REUTERS/Bruno Kelly / BBC News Brasil... |

Da redação – O órgão Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME), ligado à Faculdade de Medicina da Universidade de Washington nos EUA, revelou um estudo que fez sobre a pandemia do coronavírus nos países da América Latina. As projeções que mais chamaram a atenção são as relativas à situação do Brasil. Segundo a estimativa do instituto, o Brasil poderá ter uma média de 88.305 até dia 4 de agosto. Em um interavo que varia de 30, 3 mil até 193,7 mil mortes.

Este é o mesmo institutos que faz as projeções pelas quais o ministério da saúde norte-americano se guia para elaborar sua política com relação ao coronavírus. Ele leva em consideração dados como números de infectados, internados e mortes; e pode alterar conforme mudam as políticas públicas dos países com relação à pandemia.

Segundo este mesmo estudo, o pico da pandemia no Brasil se daria no mês de julho, quando começariam a diminuir os casos. Mas, até lá, a tendência é que o número de mortos ainda cresça exponencialmente.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas