Nesta manhã no RJ
Internado desde 10 de abril, o compositor não resistiu, vindo a falecer em decorrência do covid-19 nesta manhã
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Leo Martins/Ag. O Globo
Leo Martins/Ag. O Globo |

Da Redação

Morreu, nesta segunda-feira, 04 de maio, o compositor e escritor Aldir Blanc, em decorrência da pandemia do coronavírus. Aos 73 anos, o músico vinha tratando a pandemia há mais de duas semanas no Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), onde foi internado no dia 10 de abril apresentando pressão alta, pneumonia, e infecção urinária.

Médico de formação, Aldir Blanc se dedicou à música e à literatura desde os anos de 1960, vindo a compor um dos maiores clássicos da música popular brasileira contra a ditadura militar: O bêbado e a equilibrista, em parceria com João Bosco e imortalizada na voz de Elis Regina. Foi também autor da canção, entre outras, Mestre-sala dos mares (também com João Bosco), em homenagem a João Cândido, marinheiro negro que enfrentou o almirantado brasileiro durante a famosa Revolta da Chibata, ocorrida em 1910. O artista ainda viria a publicar dois livros de crônicas (Rua dos Artistas e arredores, de 1978 e Porta de tinturaria, em 1981), tendo colaborado também na revista Bundas (revista de humor lançada como contraponto à Caras, tendo como propósito ridicularizar as celebridades).

O falecimento foi confirmado pela assessoria do compositor.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas