Brasil Foods: burguesia nacional aceita “tutor” imperialista para não falir

Agência Brasil - ABr - Empresa Brasil de Comunicação - EBC

Pedro Parente, que acumula o cargo de presidência da Petrobrás, foi indicado para presidir também o conselho de administração da Brasil Foods (BRF), empresa nacional do setor alimentício que está sob duro ataque imperialista, principalmente através da Operação Lava Jato. Ele foi indicado ao cargo por Abílio Diniz, e foi colocado ali justamente para monitorar e “segurar” a empresa.

O “ministro do apagão” do governo FHC foi um dos idealizadores do plano de privatização colocado em prática por aqui nos anos 1990. Logo após o golpe de 2016, Parente foi colocado na presidência da Petrobrás justamente para levar para frente o plano imperialista de venda da estatal e entrega total do nosso petróleo. Ou seja, o “tecnocrata” é um agente confiável do imperialismo.

A economia nacional, especialmente os setores da burguesia com presença forte em mercados externos, está sob forte ataque do imperialismo. As diversas “operações” e “denúncias” da Polícia Federal contra essas empresas têm tratado de derrubar o valor destas, além de fechar a porta mercados de importância internacional, onde existe uma concorrência forte com setores estrangeiros. A saída dos burgueses, por enquanto, foi de subserviência e concessão, como é justamente esta nomeação de Parente.