O governo fraudulento do fascista Jair Bolsonaro segue colocando em marcha os seus planos de ataques à toda a população brasileira. “Eleito” de forma improvisada, Bolsonaro acabou se tornando o candidato do imperialismo, diante da inviabilidade de eleger um tucano, para que pudesse transformar o Brasil em um país completamente escravizado. A mais recente demonstração desse servilismo se deu em torno da questão do Irã, conforme divulgado no sítio Brasil 247.

De acordo com a matéria do 247, a Petrobrás se recusou a abastecer dois navios que iriam para o Irã, que seriam abastecidos no porto de Paranaguá, no Paraná. A justificativa apresentada pela Petrobrás foi que o abastecimento de navios para o país do Oriente Médio poderia fazer com que a Petrobrás fosse incluída na lista de empresas que sofrem sanção por parte dos norte-americanos. Se por um lado a Petrobrás de fato poderia sofrer represálias por parte dos EUA, ao mesmo tempo essa briga trará um enorme prejuízo financeiro para o Brasil, que sofrerá as consequências por parte do Irã.

O Irã é um dos países mais visados pelo imperialismo internacional. Diante dessa dura ofensiva, o país tem buscado os meios necessários para se defender das agressões imperialistas. Conforme discutido nesta matéria do nosso Diário, o Irã tem desenvolvido a tecnologia para o enriquecimento de Urânio, e atingiu um elevado percentual de enriquecimento deste material radioativo, o que permitiria o desenvolvimento de armas nucleares e de sua indústria através de energia nuclear.

Já o Brasil de Bolsonaro segue ajoelhado diante do imperialismo, em especial o norte-americano. Dadas as atuais circunstâncias em que nos encontramos, o adjetivo capacho é leve demais. já não dá a exata dimensão da subserviência brasileira sob o jugo imperialista.

Send this to a friend