Siga o DCO nas redes sociais

Brasil esbarra no VAR e empata com a Venezuela

Ontem foi dia de decepção para os torcedores brasileiros. A equipe do treinador Tite não passou de um empate em 0 a 0. A seleção brasileira tentou e não conseguiu vencer, mesmo mostrando uma clara superioridade na partida. Longe de ter uma equipe ruim, a Venezuela mostrou força defensiva e algum perigo com jogadores de experiência internacional como o atacante Rondón, que assinalou 11 gols na Premier League pelo tradicional Newcastle.

É bom lembrar que o novo sistema implementado desde a Copa do Mundo da Rússia, em 2018, o VAR, o chamado árbitro de vídeo, teve protagonismo no jogo.

O Brasil começou bem. O ex-gremista e atual atleta do Barcelona Arthur deu melhor saída de bola e toque mais objetivo ao meio-de-campo. Richarlison era o atacante mais perigoso. Firmino teve um gol anulado. Daniel Alves cruzou e o atacante do Liverpool marcou, porém, o árbitro Júlio Bascuñán viu empurrão do brasileiro no zagueiro Villanueva.

Outros jogadores não apresentaram um grande futebol apesar da qualidade demonstrada em várias oportunidades em seus clubes. David Neres perdeu boas chances. Filipe Luís errou muitos passes.

Aos 18 minutos, apesar da superioridade do Brasil, o atacante Rondón quase abriu o placar numa cabeçada perigosa. No entanto, a seleção brasileira voltou a ter o domínio da partida.

No segundo tempo, Tite substituiu Richarlison, que estava jogando bem, para dar mais uma chance a Gabriel Jesus. Aos 14, Jesus marcou, porém, o VAR acusou impedimento de Roberto Firmino, autor do passe para o camisa 9, e anulou o gol.

Tite demorou a colocar Éverton Cebolinha, mas o ponta entrou e infernizou a defesa adversária. Aos 40, após linda jogada do atacante gremista pela ponta esquerda, o meia-artilheiro Phillippe Coutinho aproveitou a oportunidade e marcou. Seria o terceiro gol do camisa 11 na Copa América. Novamente, o VAR entrou em cena e detectou novo impedimento do atacante Firmino.

O próximo jogo do Brasil será em São Paulo no sábado contra o Peru, ou seja, o duelo dos líderes do grupo A. Cada um com quatro pontos. A Venezuela tem dois pontos. A Bolívia não pontuou ainda.