Bradesco deixa de emitir Comunicação de Acidente de Trabalho para trabalhadores com suspeita de doenças ocupacionais

Brazil?s Economy On Hold As Political Crisis Deepens

Banqueiros golpistas do Bradesco deixam de emitir a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) nos casos de suspeita de doenças ocupacionais. A direção do banco, em Brasília, não está cumprindo com as normas em relação à situação ergonômicas de trabalho que tem levado os trabalhadores a adquirir lesões por esforço repetitivo (LER/DORT). Isso quando vem aumentando consideravelmente entre os trabalhadores do Bradesco o número de lesionados por esforço repetitivo, principalmente naqueles que trabalham em agências, consequência das péssimas condições de trabalho.

Com o aumento da carga de trabalho, devido à política dos banqueiros de enxugamento do quadro funcional (só no ano passado o banco demitiu cerca de 10 mil funcionários), o regime de chicote para cumprimento de metas de venda de produtos bancários aliada às condições ergonômicas nos locais de trabalho, está levado à categoria a cada vez mais adquirir doenças ocupacionais.

Com o golpe, os banqueiros se sentiram mais à vontade para passar por cima das normas que regulamenta o mobiliário e adequação dos equipamentos bancários.

Segundo as normas, os bancos devem elaborar uma análise ergonômica de trabalho em agências e postos de atendimento e nada disso está sendo feita pela direção regional em Brasília e nem em lugar algum. Os trabalhadores de Brasília têm feito levantamentos e dado informações para que a empresa se adeque às normas de ergonomia, mas nada disso tem levado os banqueiros golpistas a resolver os problemas das agências, e passam por cima da legislação com a maior naturalidade. Não é por acaso que o governo golpista de Michel Temer, recentemente, perdoo uma dívida de aproximadamente R$ 30 bilhões dos bancos Itaú, Bradesco e Santander e sistematicamente a justiça do trabalho vem beneficiando os banqueiros em matérias trabalhistas.

É necessário que a categoria bancária tenha claro que na atual etapa política de golpe de Estado somente uma grande mobilização dos trabalhadores poderá derrotar a ofensiva dos capitalistas e banqueiros golpistas contra a classe trabalhadora que passa necessariamente pela derrota do processo do golpe em andamento no País.