Boulos tira o corpo fora e deixa de atacar a campanha da direita contra ocupações

boulos chorão

Com o desabamento do prédio no centro de São Paulo, ocupado por trabalhadores sem teto, a direita golpista no País, saiu numa ofensiva feroz contra os movimentos de trabalhadores sem teto em todo país, acusando-os de criminosos.

Numa ofensiva fascista, os direitistas chegaram ao ponto máximo de acusar as pessoas que não tem onde morar de serem criminosas pelo fato de ocuparem prédios, abandonados, com dívidas impagáveis, simplesmente para se alojarem, terem um teto, onde pudessem se esconder da chuva, sol e todas as dificuldades de morarem na rua, ou seja,uma questão humanitária.

A imprensa golpista e capitalista no Brasil saiu atirando nos movimentos sociais ligados `luta por moradia. A revista Veja, por exemplo, em sua última edição acusa o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) de cometerem o crime de extorsão, acusando seu líder Guilherme Boulos como quadrilheiro.

Diante disso, Guilherme Boulos, coordenador do MTST e  pré-candidato ao presidência da República pelo PSOL, em entrevista concedida a golpista Folha de S. Paulo, além de não atacar a ofensiva da direita de tentar criminalizar o movimento dos sem teto, reforçou a campanha da direita contra as ocupações, concordando com os golpistas de que a cobrança de taxas em ocupações  é uma maneira de extorquir os moradores das ocupações.

A posição de Boulos de não denunciar a direita golpista, de não apresentar a suspeita de que o incêndio é criminoso para retirar as pessoas do local, e de que a cobrança de taxas ou mensalidades é normal em qualquer movimento social, só mostra que Boulos se comporta como candidato burguês, que procura apenas falar o que a imprensa golpista quer ouvir, iludido de que essa posição demagógica ganhe votos na eleição.

Qualquer militante de movimento social sabe perfeitamente que qualquer organização política, ou movimento social sério precisa de dinheiro para se organizar.

A campanha da direita, que tem como carro chefe a acusação de “corrupção” dos lideres do movimentos sociais, tem como objetivo, colocar os militantes desses movimentos na defensiva, para que a direita promova intervenção estatal nesses movimentos, com repressão, desocupação dos prédios e prisão de seus líderes.

A posição de Boulos na entrevista da Folha só serve para colocar ainda mais os militantes do Sem Teto na defensiva e a direita com autoridade para acusar de criminoso quem tenta organizar seriamente os trabalhadores sem teto.

E por essas e outras, que a pré-candidatura de Guilherme Boulos pelo PSol é uma candidatura que não tem nenhuma serventia na luta contra o golpe, pelo contrário, só ajuda a decorar o cenário de ataque dos golpistas a classe operária, uma vez que essa candidatura não serve nem para uma simples denuncia contra a direita fascista que usa a desgraça do povo para atacar ainda mais a população trabalhadora que não tem nem onde morar.